Sexta-feira, 21 Julho 2017  15:41:46

Saúde em Ibaté é considerada uma das melhores da região

  • Escrito por  Redação
Hospital se tornou referência regional pelo bom atendimento Hospital se tornou referência regional pelo bom atendimento (Foto: Divulgação)

Uma das maiores obras e benfeitorias do prefeito José Luiz Parrella (PSDB), desde que assumiu a Prefeitura de Ibaté no seu primeiro mandato em 2005, foi a reforma e ampliação do Hospital Municipal “Hermínia Morganti”.

O Serviço Médico de Urgência (SMU) foi ampliado e recebeu a construção de sala para pré-consultas, que antes não existia, onde são realizadas as aferições de temperatura, pressão arterial, entre outros procedimentos utilizados  a fim de constatar a gravidade do quadro clínico do paciente. Foi construída também uma  sala apropriada para inalação, com divisão para dar conforto e comodidade aos usuários; quatro novos banheiros, sendo dois com acessibilidade, que também não existiam; sala para informação ao paciente e de faturamento, onde são registradas as consultas, exames, internações, enfim, a vida do hospital.

Os moradores mais antigos da cidade lembram a forma precária como eram atendidos  no hospital. Cadeiras velhas, bancos com estofados rasgados, local totalmente escuro, uma calamidade total. “Atualmente, a recepção do nosso hospital disponibiliza total conforto aos pacientes, com cadeiras novas, televisão, banheiros limpos, que mais parece um  hospital particular”, lembrou Zé Parrella.

Para completar o quadro, o atendimento era péssimo, a falta de médicos era uma rotina constante e os óbitos no local eram uma triste rotina.

Atualmente, com toda essa estrutura oferecida aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), o Hospital Municipal de Ibaté atende, em média, sete mil pessoas por mês. “Quando estamos no período da safra canavieira, esses números aumentam ainda mais”, lembrou o prefeito.

Com a crise na saúde pública da vizinha São Carlos, ainda, dezenas de pessoas daquela cidade procuram diariamente por atendimento no Hospital de Ibaté, diga-se de passagem, são bem assistidas, pois até exames complementares estão sendo realizados pelo município de Ibaté, uma vez que, o SUS é universal.

Especialidades são exemplos de bom atendimento

Além das consultas normais, o Departamento Municipal de Saúde divulgou balanço apresentando um total de 3.623 consultas mensais, com especialistas: clínico geral, cardiologia, endocrinologia, fonoaudiologia, neurologia, oftalmologia, ortopedista, pneumologia, entre outras. “Ibaté investe em Saúde, mais que o dobro [38,60%] do que a lei de responsabilidade fiscal determina. Nosso governo sempre priorizou a saúde e todos sabem disso”, relatou Parrella.

Apesar da não obrigatoriedade, pois não é habilitada para realizar média e alta complexidade, ou seja, mantendo assim especialistas, Zé Parrella fez questão de tornar Ibaté apta a realizar esses atendimentos com recursos próprios do município, garantindo assim maior comodidade para a população.

No balanço apresentado, Ibaté registrou uma média de 250 exames de alta complexidade, por mês. São exames de angioplastia, doppler arterial, duplex venoso, entre outros. E mais 350 exames simples mensais, que são os de sangue, hipertensão e hemograma. O município também investe, aproximadamente, R$ 50 mil em exames de análises clínicas, por mês.

Outros exames também foram apresentados no levantamento. Exames de endoscopia somam 40 por mês; de colonoscopia, 25 por mês; de raio-X, cerca de 1.100 por mês; de retossigmoide, são 17 por mês; e de ultrassom, são 421 exames mensais. “Infelizmente, às vezes, as pessoas não têm conhecimento desses números, mas nossos valorosos funcionários da Saúde trabalham e se dedicam muito”, enalteceu o chefe do Executivo.

Foi implantada nos governos dos ex-prefeitos Lu Spilla (PSDB) e Dr. Alessandro Magno de Melo Rosa (PSDB), o Centro de Referência da Mulher, que oferece atendimento integral à saúde da mulher, com uma média de aproximadamente mil atendimentos por mês.

População reconhece ótimo atendimento

A paciente Fernanda relatou que toda vez que precisou do hospital sempre foi muito bem atendida. “Toda vez que precisei, sempre foi bem atendida. Não tive demora no parto do meu bebê e não tenho nada do que reclamar”, relatou.

Josiane, que teve um parto prematuro, também teceu elogio ao atendimento dos funcionários da saúde. “Eles tratam a gente muito bem e são muito atenciosos com a gente. Cuidaram muito bem do meu bebê e não teve nenhuma demora no atendimento, além de ter à disposição todos os medicamentos”, contou ela.

A enfermeira chefe Grazielle  Farias de Almeida destacou que desde quando trabalha no hospital nunca viu nenhum paciente morrer por falta de atendimento. “Nunca”, disse. Ela explicou que todos os pacientes são tratados de forma igual. “Eles chegam à recepção, fazem sua ficha e, agora, implantamos as senhas, onde aguardam para ser chamados”, contou. A profissional ressaltou que o tempo de espera varia em torno de 10 minutos e ninguém sai sem atendimento.

A vereadora Regina Célia Alves de Queiróz (PSDB), que é enfermeira do Hospital Municipal há 27 anos, ressaltou que as críticas do vereador Luís Marino da Silva (PSDB) durante a sessão ordinária da última segunda-feira (10), foram descabidas e de quem não conhece o setor. “Todas as críticas que ele apontou, para mim, foi uma surpresa. Quando ele fala que em nosso hospital houve óbitos por falta de atendimentos, nunca soube que isso aconteceu aqui. Em relação às condutas médicas, isso não cabe a nós, é conduta de médico e eles nunca deixaram de dar atendimento e até mesmo atestados para aqueles que necessitam e os encaminhamentos que são precisos também”, afirmou.

Na realidade, as críticas agressivas do vereador Luís Marino ao Departamento Municipal da Saúde, demonstraram bem que o mesmo está totalmente desinformado do que realmente ocorre na área. A decepção é ainda maior quando a cidade, que ele deveria em tese representar, hoje é considerada pela regional, como exemplo de profissionalismo e bom atendimento na área da Saúde.

O fato ainda é mais preocupante, pois o vereador, ao que parece, só realiza visitas às unidades de saúde para fazer pedidos que venham ao encontro dos seus próprios interesses eleitorais.

Outro fato que causa grande decepção é que Marino deveria valorizar mais as realizações que estão ocorrendo na cidade, aliás, realizações de administradores pertencentes ao partido que ele integra, a qual deveria defender com ética e lealdade, haja vista, que cidades vizinhas estão à beira do caos e inclusive fechando Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e sem fornecimento de medicamentos a população.

O gestor hospitalar José Ailton contou que está no hospital há cerca de dois meses e que, no tempo em que trabalha no local, observou que o corpo clínico é de excelente qualidade. “Logicamente que nós temos alguns problemas pontuais, porém, quando acontece alguma situação a gente utiliza de processos administrativos e agimos da forma legal”, disse. “A gente aqui trabalha em conjunto e não temos nenhum problema”, completou. Ele ressaltou que o custo da saúde em Ibaté, o deixou bastante surpreso pela estrutura que a prefeitura oferece aos munícipes. “Oxigênio em casa, medicamento, ambulância, transporte, enfim. Dificilmente existe um corpo clínico igual ao nosso hospital e o auxilio à saúde como medicamentos e outros benefícios”, finalizou.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Held Turismo

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.