Sexta-feira, 29 Agosto 2014  03:00:33

Venda de carros usados está cada vez menor

  • Escrito por  Paola Mastrofrancisco

O mercado de carros usados está em baixa. Dados do Departamento Nacional de Trânsito indicam que em 2000, 9% da frota brasileira de automóveis tinham mais de 20 anos. Em 2012, esse índice caiu pela metade, atingindo os 4%. Aqueles que se sustentam através da compra e venda deste tipo de veículo não exitam ao responder: a situação está difícil.

De acordo com Mario Alves Filho, dono de uma concessionária de veículos usados, até agora, o começo de ano está complicado. Há 10 anos trabalhando no ramo, ele afirma que o movimento está fraco e que, inclusive, teve que demitir funcionários. “ Se a tendência for continuar assim, terei que mandar mais gente embora. Com essa atitude de o governo restringir o crédito, fica mais difícil. Antigamente as pessoas conseguiam 100% de financiamento. Hoje, alguns bancos nem sequer financiam carros com 10 anos de uso e, por isso, houve queda nas vendas. Além disso, os critérios na avaliação de quem recebe o dinheiro também estão mais rídigos”, opina.

Segundo o economista Jônatas Rodrigues da Silva a inadimplência é o principal fator para que o Banco Central esteja colocando maiores entraves aos financiamentos. “Hoje se exige uma entrada que varia de 20% a 40% do valor do veículo, antes era possível financiar 100%. Quanto maior o prazo do financiamento, maior a entrada exigida pelo Banco Central. O banco que concede o empréstimo deve possuir maior lastro, para se evitar uma bolha no setor. Por isso, ele faz maiores exigências como estabilidade no emprego, casa própria e determinada faixa de renda. Além disso, os juros ficaram maiores também. O que antes era 1,5%, na média, subiu para 2% ou mesmo 2,5%”, explica.

Segundo ele, a grande maioria dos pedidos tem sido recusada pelas financeiras, número que gira em torno de 70%. Outro fator que influencia o mercado de usados é a procura por carros novos, que são mais modernos, mais fáceis de serem financiados e com taxas de juros menores. “Somente no início deste ano as vendas destes veículos cresceram 10%. Acredito que o fator preponderante do consumidor querer um carro zero e não o usado é realmente o prestígio, o status proporcionado quando se compra um carro novo. Em termos econômicos, é mais barato um carro usado, com um ano de uso, por exemplo, do que um carro novo. Além disso, o carro zero tem uma grande desvalorização em seu primeiro ano de uso, fora as taxas do Detran que devem ser pagas. Um veículo perde aproximadamente 20% de seu valor no primeiro ano”, ressalta Silva.

Comentários  

 
0 #3 CARLOS 30-04-2012 00:51
DURANTE ANOS ESTAS CONCESSIONÁRIAS EXPLORARAM O POVO AGORA COM A GLOBALIZAÇÃO ATE DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, OS BRASILEIROS COMEÇARAM A TIRAR A VENDA DA IGNORÃNCIA, SABEMOS QUE OS CARROS ECOLOGICOS(ELET RICOS E AR CUMPRIMIDO E OS HIBRIDOS DESDES) SERÃO A SALVAÇÃO DO MUNDO EM FACE DA POLUIÇÃO DESVASTADORA QUE PODE ACABAR COM O MUNDO EM 20 ANOS, AÍ ESTES CARROS VÃI VIRAR SUCATAS. ALÉM DISSO COMO NA EUROPA E USA TODOS OS CARROS TEM OBRIGATORIEDADE DE ITENS DE SEGURANÇA, COM NO MINIMO 04 AIRBAGS E COM METADE DO PREÇO COBRADO NO BRASIL. A JAC, CHERY LIFAN DA CHINA, POR MEIO DE GANACIOSOS EMPRESÁRIOS BRASILEIROS TENTOU ENVIAR GUELA ABAIXO CARROS QUE AINDA NÃO INSPIRAM CONFIANÇA QUE APESAR DE PREÇOS MAIS BAIXOS, SÃO EXORBITANTES, ESTÁ SENDO UM FRACASSO. ABAIXO A ELITE E AS OLIGURAGUIAS, ACORDA BRASIL!
Citar
 
 
0 #2 manoel 17-04-2012 15:45
Tambem pudera os caras querem ganhar 5 mil por carro, o povo não é besta, demorou mais viu que comprar um carro zero é mais vantajoso que comprar essa sucatas vendidas por eles, alem do mais 50% dos usados vendidos foram comprados pelos garagistas em leilões ou seja é só sucata.
Citar
 
 
0 #1 luis 17-04-2012 15:23
qque [***] né
Citar
 

PUBLICIDADE

QMassa
Bogas
Mina do Chopp
Carregue
Nossa Casa Auto Elétrico

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.