Domingo, 30 Abril 2017  02:06:27

“Prefeito precisa de psiquiatra”, diz Paraná Filho

  • Escrito por  Fabio Taconelli
Paraná Filho e Airton Garcia: clima entre os dois políticos não está legal; vereador disse que prefeito precisa de psiquiatra Paraná Filho e Airton Garcia: clima entre os dois políticos não está legal; vereador disse que prefeito precisa de psiquiatra (Foto: Fabio Taconelli)

O clima entre o vereador Paraná Filho e o prefeito Airton Garcia, ambos do PSB, permanece hostil. Na última quarta-feira, 19, houve uma reunião entre parlamentares e o chefe do Poder Executivo para esclarecer dois assuntos: a liberação de emendas parlamentares e os cancelamentos de débitos de impostos do administrador de São Carlos, conforme denúncia apresentada na terça-feira, 18.

A reunião começou com debates amenos, mas o encontro se acirrou durante as três horas. Vereadores ouvidos informalmente pelo Primeira Página afirmaram que Airton Garcia não digeriu bem as denúncias apresentadas por Paraná Filho. Em diversos momentos, o tom de voz de ambos se alterou. A imprensa foi proibida de participar do encontro, mas era inevitável ouvir alguns gritos que ecoavam da sala do presidente da Câmara, Julio Cesar (DEM).

As entrevistas ao final da reunião evidenciaram o debate nada amistoso em alguns momentos. “O prefeito precisa passar por um psiquiatra. Ele está xingando e ofendendo a todos. Nós, enquanto Legislativo, estamos no estrito dever de fiscalizar. Encontramos suspeitas de cancelamentos de IPTU do senhor Airton Garcia, que por sinal é um dos maiores devedores do imposto em São Carlos, e ele precisa esclarecer essa questão. Já são 12 cancelamentos que somam R$ 12 mil”, afirmou Paraná.

Dois advogados participaram da reunião para os esclarecimentos. “A Prefeitura diz que os cancelamentos são por causa de duplicidade de cobranças, mas eu tenho o dever de fiscalizar. Nunca disse que há irregularidades, mas suspeitas de irregularidades. Agora, não podemos aceitar a forma agressiva com que o Airton trata os vereadores. Não sou filho de mãe assustada e não é com berros que o prefeito vai barrar o meu mandato”, esbravejou Paraná.

O parlamentar pediu o apoio do Ministério Público e da Câmara nas investigações. Questionado sobre a isenção dos servidores públicos nos atos, ele respondeu: “não tenho que isentar qualquer servidor de culpa”, disse o parlamentar em relação ao Departamento Jurídico. “Não importa se tem 40 anos de profissão. Um servidor de 30 anos de carreira foi acusado de fazer trocas de cheques. Vou fazer o meu papel de agente fiscalizador, custe o que custar”, observou Paraná Filho.

Outro lado

Na questão das emendas parlamentares, Airton Garcia considerou a reunião produtiva, mas o prefeito de São Carlos demonstrou que a denúncia de cancelamento de impostos o incomodou. “Um vereador falou num monte de lugar que foram canceladas dívidas. Isso não é verdade. Por isso que eu trouxe os advogados para mostrar que os cancelamentos aconteceram por duplicidade de cobrança. Essa duplicidade pode ser do Airton, do Pedro, do Joaquim e do Mané. E, maliciosamente, algumas pessoas jogaram na imprensa esse assunto, como se houvesse falcatrua. Tentaram jogar meu nome na lama”, respondeu.

Apesar do ambiente pesado da reunião, Airton diz que não há mal relacionamento com a Câmara. “A política é turbulenta. Quem não quer turbulência, que não vá para a política. Quando temos opiniões divergentes, temos que discutir”, concluiu.

 

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Whatsapp
CMC
Posto das Bandeiras

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.