Quinta-feira, 19 Abril 2018  12:14:52

Com reforma ministerial, ministros fazem "despedida" em eventos com Temer

  • Escrito por  ESTADÃO

Com o início nesta semana da reforma ministerial para que os titulares das pastas possam concorrer às eleições deste ano, o governo vai promover eventos para a despedida dos ministros junto ao presidente Michel Temer (MDB).

Pelo menos dez ministros deverão se descompatibilizar dos cargos até 7 de abril, prazo estipulado pela lei eleitoral para participar do pleito de outubro. São eles: Fernando Coelho Filho (Minas e Energia), Helder Barbalho (Integração Nacional), Henrique Meirelles (Fazenda), Leonardo Picciani (Esporte), Marx Beltrão (Turismo), Maurício Quintella (Transportes), Mendonça Filho (Educação), Osmar Terra (Desenvolvimento Social), Ricardo Barros (Saúde) e Sarney Filho (Meio Ambiente).

A previsão é que os ministros da Saúde e dos Transportes, Ricardo Barros e Maurício Quintella, saiam das pastas até quinta-feira (29). Para se despedir, ambos terão eventos com Temer nos quais deverão fazer um balanço de suas atuações à frente dos ministérios.

Nesta terça-feira (27), haverá uma cerimônia da Ordem do Mérito Médico no Palácio do Planalto. Na quinta, Michel Temer viajará com Quintella para inaugurar o novo aeroporto de Vitória, no Espírito Santo.

O ministro da Educação, Mendonça Filho, deverá se desligar somente na próxima semana, mas já promoverá um evento nesta quarta (28) no Planalto para anúncio de recursos para o programa Mais Alfabetização.

No momento, quatro ministérios estão sendo comandados por interinos: Trabalho, Direitos Humanos, Indústria e Defesa. Deverão permanecer no governo os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), Raul Jungmann (Segurança Pública), Blairo Maggi (Agricultura), Torquato Jardim (Justiça), Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Sérgio Sá Leitão (Cultura) e Dyogo Oliveira (Planejamento).

Ainda não há definição sobre a permanência dos ministros Alexandre Baldy (Cidades), Gilberto Kassab (Ciência) e Carlos Marun (Secretaria de Governo). Este último diz querer se licenciar do ministério para voltar a ser deputado federal e apresentar um pedido de impeachment contra o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso na semana que vem. O retorno dependeria de posicionamento de Temer, afirma.

Troca-troca e negociações

A partir desta terça, Temer irá intensificar as negociações para a escolha dos substitutos nos ministérios junto a Eliseu Padilha e Moreira Franco. Eles se já se reuniram com os ministros de saída e, agora, irão focar as conversas com os partidos dos quais fazem parte.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.