Cultura à todo vapor e as estão Artes Visuais por todo canto


Esta semana começa com 10 exposições abertas a visitação do público. Com os temas mais variados, artistas da cidade mostram seus trabalhos nos mais diversos espaços. Destacam-se a exposição itinerante “Mais um corre”, “Instantâneo”, “A imperial cidade de Petrópolis”

Teve início na semana passada, em São Carlos, a exposição fotográfica itinerante “Mais um Corre”. A mostra, realizada pelo Departamento de Terapia Ocupacional (DTO) da UFSCar e pela Pró–Reitoria de Extensão (ProEx) da Universidade, tem o objetivo de promover e compartilhar criações e novas perspectivas de compreensão sobre a realidade de pessoas que vivem nas ruas. A exposição está aberta no Shopping Iguatemi  e permanece no local até o dia 26 de agosto.

O trabalho aborda a condição de pessoas em situação de vulnerabilidade social que historicamente são invisíveis, estigmatizadas ou penalizadas diante de tantas incongruências na forma de como se estabelecem os parâmetros do convívio em sociedade.

Alexandre Martins expõe suas obras na Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda. Sua primeira manifestação artística foi através da música, compondo e experimentando sons e músicas através de vários instrumentos e de recursos multimídia. Atualmente desenvolve seu talento nas artes visuais. Esta exposição é resultado de um trabalho intenso é esta exposição: quase três dezenas de telas em que expressa fantasias oníricas, abordando uma temática mística e fantástica, proveniente de sonhos e impressões mentais.

No SESI o público pode apreciar a exposição “A imperial cidade de Petrópolis” de Paulo Avelar. Fruto de seis anos de trabalho pesquisa, o fotógrafo apresenta na exposição olhares de Petrópolis, um dos destinos preferidos do Imperador D. Pedro II no século XIX. A cidade é marcada por seu clima e sua arquitetura centenária. No ensaio, Avelar clicou edifícios e monumentos que preservam uma significativa parte da história do Brasil.

A Exposição “Presença” de Cid Almeida aborda olhares de dentro pra fora, de fora pra, uma temática subjetiva expressa em telas. Uma realização da Associação Cultural Ylê Omolokô. A abertura aconteceu no último dia 14 de agosto e as obras estarão expostas até o dia 31 de agosto.

NO SESC duas exposições estão disponíveis para visitação, INSTANTÂNEO, com fotos feita pelo público por instagram, e as colagens de Nino Cais. NO Museu da Ciência duas exposições, que ocorrem simultaneamente intituladas “Macro fotografia de Natureza” e outra do Projeto Memória, que contará, através de painéis, a vida e a obra de Carlos Drummond de Andrade.

 

Na Fundação Educacional de São Carlos, FESC, a partir do dia 19de agosto, acontecerá na FESC 2 (Rua : Itália, 756 Vila Prado), a abertura da Exposição de Telas, do artista plástico Romeu Casale Filho. 

comments icon 0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *