Quinta-feira, 30 Março 2017  17:40:04

Em 'Por Um Punhado de Dólares', diretor usa drama humano para falar de economia

  • Escrito por  Estadão Conteúdo
Em 'Por Um Punhado de Dólares', diretor usa drama humano para falar de economia (Foto: Divulgação)

Logo no começo de Por Um Punhado de Dólares - Os Novos Emigrados um letreiro informa que, todo ano, em todo o mundo, 200 milhões de pessoas saem de seus países em busca de melhores oportunidades longe de casa. Essas pessoas movimentaram, em 2014 US$ 400 bilhões. Numa entrevista por telefone, do Rio, o diretor Leonardo Dourado retifica o número - em 2016, segundo dados do Banco Mundial, foram US$ 600 bilhões.

Por Um Punhado de Dólares - nada a ver a com spaghetti western de Sergio com o grande Clint, nos anos 1960 - integrou a seleção do É Tudo Verdade em 2014. Estreia agora graças a um edital da Spcine. É um ótimo filme. Talvez, considerando-se a amplitude da geografia humana abordada por Dourado, a amostragem seja reduzida. São basicamente três casos, mas envolvendo os países de onde os imigrantes mais enviam dinheiro para suas famílias (EUA, Alemanha) e o Brasil, claro, por se tratar de um filme brasileiro.

EUA e México, Alemanha e Zâmbia, Brasil e Japão. A família de mexicanos dividiu-se - parte dela preferiu permanecer no México. O zambiano também vive dividido - constituiu família na Alemanha mas ganha mais dinheiro em Munique, o que o obriga a viver longe da mulher e dos filhos. O problema é que 40 pessoas dependem dele em Zâmbia, o que o força continuamente ao sacrifício. Os garotos brasileiros no Japão queixam-se de diferenças culturais inconciliáveis, mas a família também depende deles. Chegam a preparar a ida de mais um irmão para se juntar a eles.

Jornalista, produtor de TV - ex-Fantástico -, Leonardo Dourado abandonou a redação, mas não o hábito de ler nas entrelinhas dos grandes jornais. Foi em uma nota, sobre a movimentação de dinheiro pelos novos imigrados, que ele descobriu o material para seu longa. O filme demorou para ser feito - contingências de produção. Conheceu todo tipo de percalços. Um possível personagem foi assassinado. Uma família desistiu porque o filme exporia que sua situação lá fora não é tão boa quanto tenta fazer crer aos que ficaram no Brasil. São histórias humanas, algumas dolorosas. Expõem fraturas, tensões. Por Um Punhado de Dólares merece atenção.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Whatsapp
Bogas

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.