Quinta-feira, 24 Maio 2018  12:20:36

“A reconstrução da política cultural demanda tempo”, diz Caromano, chefe de seção de Difusão Cultural

  • Escrito por  SIMÉIA CASATI

O Jornal Primeira Página conversou com o chefe de seção de Difusão Cultural, Carlos Alberto Caromano, a fim de saber sobre nos projetos na área cultural de São Carlos. Além disso, Caromano fez um balanço cultural de 2017 para a cidade.

Segundo o chefe de seção de Difusão Cultural, neste ano serão mantidos o atendimento, com a continuidade das oficinas de cultura, tanto no Cemac como no Céu das Artes do São Carlos oito, e ainda ampliando com uma oficina em Santa Eudóxia. “A reconstrução da política cultural demanda tempo, pois depois de se perder o público, para reconquista-lo é necessário certo prazo. Daí, nossa maior preocupação é paulatinamente ir melhorando, todo o trabalho que iniciou oficialmente em Novembro”, disse Caromano.

Em 2018, o Governo do Estado anunciou que não haverá recursos da Secretaria da Cultura para manutenção das Oficinas, no entanto, segundo Carlos Alberto, o Prefeito Municipal, e o Secretário Municipal de Educação, autorizaram a manutenção do atendimento, com recursos do município.

Sobre programas culturais que atenderão a população, Caromano ressaltou que além de todas as oficinas que já estão acontecendo e que permanecerão durante o ano, a Coordenadoria de Artes e Cultura, mantém em permanência de atendimento o Projeto Dançar, com crianças e Adolescentes de 05 a 17 anos, no Cemac. “E este ano, teremos ainda 12 encontros de aprofundamento profissional em Dança e Teatro, com inicio em abril. Podemos esperar a manutenção de toda essa gama de serviços prestados, e repito, paulatinamente o avanço para outras ações, como outros Editais de Chamamento Publico (pois essa é a politica  adotada pela Coordenadoria ) e os eventos oficiais do Município, que sempre se destacam em datas específicas”, destacou.

CULTURA EM 2017 – 2017 foi um ano de muito trabalho.  Foi o trabalho de retomada das atividades culturais. São Carlos sofreu muitas perdas, como os Pontos de Cultura e a Virada Cultural Paulista. Porém, nos foi dado autonomia pelo Secretário de Educação, que responde pelo expediente da Cultura, e fizemos bastante coisa, como:

             Inauguração do Cemac,

             Atendimento do Projeto Dançar, com mostra de Dança em Novembro, p.p.,

             Atendimentos de Cinema e Contação de Histórias para as crianças da Rede Municipal,

             Aprovação do Projeto de Oficinas de Cultura, junto ao Governo do Estado,

             Editais de Chamamento público, tanto para projetos como de espetáculos,

             ocupação de espaços públicos; o Circuito Arena, que divulgou músicos e bandas no teatros de arena do município,

             além de apresentações musicais nas feiras noturnas.

             festividades oficiais , inclusive com o Desfile do Aniversário de São Carlos,  na Avenida São Carlos.

“2017 como já disse foi um ano de reconstrução. 2018 está sendo um ano de fortalecimento para a consolidação das políticas publicas culturais do município”, finalizou.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.