Sexta-feira, 20 Julho 2018  23:59:21

Movimentação do emprego formal é estável no 1º bimestre

  • Escrito por  DA REDAÇÃO

O resultado da movimentação do emprego formal durante o primeiro bimestre de 2018 foi de estabilidade no número total de trabalhadores com carteira assinada. O resultado vem após uma série de saldos positivos durante o ano de 2017, que apontam para uma direção de recuperação do emprego durante o ano de 2018, conforme a economia continue a trajetória de recuperação.

Durante o ano passado, o maior número de pessoas empregadas em caráter formal foi verificado em novembro, quando 74.519 pessoas ocupavam postos de trabalho formal na cidade. Em dezembro do mesmo ano, houve o maior número de cortes de vagas (-382) que diminuiu o número total de trabalhadores formais para 74.137, praticamente o mesmo número verificado agora em fevereiro de 2018, com apenas 1 vaga de diferença.

Vale ressaltar que é característica do mês de dezembro apresentar saldo negativo do emprego formal. Em dezembro de 2016 o número de cortes de vagas (-682) foi ainda maior que o verificado no mesmo mês em 2017.

Em janeiro de 2018, mais pessoas foram demitidas do que contratadas na cidade. No total, 17 postos de emprego formal deixaram de existir naquele mês. Apesar do saldo negativo, os setores da indústria e o de serviços contaram com saldos positivos, criando, respectivamente, 87 e 64 novos postos de trabalho. Os setores que contribuíram para o saldo negativo foram a construção civil (-79), o comércio (-66) e a agropecuária (-23).

Já em fevereiro, o resultado foi o contrário. Mais pessoas foram admitidas do que demitidas, resultando num saldo positivo de 18 novos postos de emprego formal. O setor de serviços foi o principal responsável pelo saldo positivo do mês, criando 191 novos postos de trabalho. O setor da agropecuária preencheu outras 20 vagas de emprego formal. Os setores que demitiram mais do que contrataram foram a indústria (-85), a construção civil (-39) e o comércio (-69).

Atualmente, de acordo com os últimos dados disponíveis (fevereiro), a cidade conta com 74.138 pessoas empregadas formalmente. Deste total, 24,5% (18.175) são da indústria, 3,5% (2.581) da construção civil, 20,6% (15.255) do comércio, 48,4% (35.864) dos serviços e 3,1% (2.263) da agropecuária.

O acompanhamento do emprego formal na cidade é feito através da análise das publicações mensais do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), levando em consideração as declarações dentro e fora do prazo. A base para as atualizações é a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 2016.

O Núcleo de Economia da ACISC é fruto do convênio entre a Associação Comercial e Industrial de São Carlos (ACISC) com o Núcleo de Conjuntura, Finanças e Empreendedorismo do Departamento de Economia da UNESP Araraquara e conta com a coordenação do Prof. Dr. Elton Eustáquio Casagrande e supervisão do Presidente da ACISC, José Fernando Domingues.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.