Domingo, 19 Agosto 2018  07:59:38

Quase 5 mil Empreendedores Individuais estão inadimplentes

  • Escrito por  Fábio Taconelli

O número de empreendedores individuais de São Carlos que estão inadimplentes chega a 4.750, de acordo com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Na cidade, atualmente, há 11.818 cadastros. Os números constam do Portal do Empreendedor da entidade. Até abril desse ano, 42% estão inadimplentes. Se comparar com o mesmo período do ano passado, houve uma queda. Naquela oportunidade, o percentual estava em 49,5%.

Elton Yokomizo é o gerente regional do Sebrae São Carlos. Ele afirma que muitos CNPJs, que são os cadastros nacionais de pessoas jurídicas, foram cancelados pela Receita Federal. “A Receita Federal fez uma ação para desenquadrar MEIs que estavam inadimplentes há cinco anos ou mais, o que gerou o cancelamento de 1,3 milhão de micro e pequenas empresas. Em São Carlos, tivemos muitas MEIs que foram desenquadradas e se tornaram microempresas”, esclarece.

De acordo com o Yokomizo, a inadimplência das MEIS fica, em média, 56%. Em alguns casos, chega a 70%. A inadimplência, por exemplo, impede que o pequeno empreendedor contrate com a administração pública.

Outras estatísticas

O número de empreendedores individuais no Brasil apresentou um crescimento de 81% nos últimos três anos. Passou de 3,65 milhões de inscritos em 2013 para 6,64 milhões em 2016. Em 2017, subiu para 7,8 milhões de microempreendedores no Brasil.

A Receita informou que a exclusão de CNPJ de microempreendedores individuais dizem respeito aos que não fizeram nenhum pagamento de impostos nos últimos três anos e que estavam com as declarações anuais do Simples Nacional atrasadas.

Já os números da Serasa Experian sobre os MEIs mostra o seguinte panorama. Cresceu 14,4% em fevereiro na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando foram criadas 138.187 novas empresas nesse segmento. Das 191.498 empresas criadas em fevereiro deste ano, 82,5% são MEI, um total de 158.038. O total de novos microempreendedores individuais é o maior para fevereiro desde 2010, quando teve início a série histórica do Indicador de Nascimentos de Empresas.

Nos dois primeiros meses do ano, foram criadas 338.184 MEIs no país, que representam 84,2% do total de 401.633 novas empresas. A representatividade desta modalidade tem sido crescente desde 2010, passando de um percentual de 46,1% do total em fevereiro de 2010 para 82,5% neste ano.

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, os números refletem a lenta recuperação do nível de emprego formal e a retomada do crescimento da economia, que favorecem a abertura de novos negócios, especialmente os de microempreendedores. Nas demais modalidades de natureza jurídica, por sua vez, apenas o de Sociedades Limitadas registrou crescimento de 0,6%, com 13.712 novos negócios. A queda mais expressiva foi a de Empresas Individuais (-31,5%). Foram 9.579 novas empresas em fevereiro, enquanto em fevereiro de 2017 haviam sido criadas 13.984. Os demais segmentos somados também tiveram queda de 1,8%, com 10.169 novos negócios no mês deste ano contra 10.351 em fevereiro de 2017.

Em relação aos setores, o de serviços foi o que mais cresceu em fevereiro, com 126.832 novas empresas, que representam 66,2% do total de empreendimentos criados. Em seguida, está o setor de comércio com 48.971 (25,6% do total) e o setor industrial com 15.101 empresas (7,9% do total).

O Sudeste lidera o ranking de nascimento de negócios. Foram 99.575 novas empresas em fevereiro de 2018. O Sul aparece em seguida com 18,3% dos empreendimentos, um total de 35.011. O Nordeste ficou em terceiro, com 30.218 empresas; seguido pelo Centro-Oeste (18.013) e Norte (8.681).

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.