Quinta-feira, 24 Maio 2018  12:19:59

Lucas Castro

Um homem foi preso por tráfico de drogas, na manhã desta terça-feira (27), no Conjunto Habitacional “Victor Arnaldo Torrezan”, na região conhecida como Malvinas, durante uma operação que envolveu as Polícias Civil e Militar.

Após investigações, a Polícia Civil solicitou um mandado de busca e apreensão que foi expedido pela Justiça da Comarca de Ribeirão Bonito.

Com o mandado de busca e apreensão em mãos, os policiais civis, Fábio, Carlos Eduardo e Igor, junto com os militares Garcia e Isaias, foram até uma residência na rua Callil Saffi.

Chegando ai endereço, os policiais entraram na residência e surpreendera F.S., de 38 anos, sendo localizada com ele uma pequena porção de erva esverdeada, semelhante a maconha, sendo que o mesmo alegou ser para consumo próprio.

Em ato contínuo, em um dos cômodos da casa os policiais encontraram o morador do imóvel, Marcio Reginaldo Rodrigues, de 45 anos, portanto o mesmo não portava nada de ilícito, porém no quarto dele, dentro de um sapato branco, foi localizada uma porção de maconha, pesando 30 gramas, e em cima de uma estante, um cigarro da mesma erva e um pino vazio.

Ainda no quarto, dentro de um armário, os policiais encontraram no bolso de uma bermuda R$ 458,25 em diversas cédulas e moedas, em uma gaveta havia vários celulares e em cima do móvel uma réplica de arma de fogo. 

Marcio foi conduzido para a Delegacia de Polícia de Ribeirão Bonito e autuado em flagrante por tráfico de drogas, sendo recolhido no Centro de Triagem de São Carlos. As porções de maconha, o dinheiro, os celulares e o simulacro ficaram apreendidos. F.S. acabou liberado. 

A Polícia Civil de Itirapina realizou uma megaoperação na manhã desta terça-feira (27) para coibir o tráfico de drogas na cidade e conseguiu desmantelar uma quadrilha que agia na cidade, prendendo, inclusive, o chefe do grupo, mais dez maiores e um adolescente. 

Com 15 mandados temporária prisão e 24 buscas domiciliares, os policiais de Itirapina e da da região do Departamento de Polícia Judiciária de São Paulo Interior (Deinter-9) de Piracicaba, saíram em busca dos criminosos pelos bairros Jardim Nova Itirapina e Balneário Santo Antônio, conhecido como Represa do Broa, em 23 viaturas com três civis em cada.

As investigações tiveram início no segundo semestre de 2017, quando na ocasião, dois indivíduos foram presos com entorpecentes. A partir daí, um trabalho de inteligência da Polícia Civil resultou na identificação de vários envolvidos com o tráfico de drogas e associação ao mesmo crime, bem como locais por eles utilizados. 

Durante esse trabalho, os policiais civis, orientados pelo delegado José Francisco Minelli, conseguiram chegar até a pessoa responsável pelo comando do tráfico de drogas na cidade. 

Durante a megaoperação de ontem, dez pessoas maiores de idade foram presas e um adolescente apreendido. Outro rapaz, ao saber que havia um mandado de prisão temporária em seu nome, acabou se apresentando espontaneamente na Delegacia de Polícia.

No total, onze pessoas ficaram presas, sendo cinco em flagrante e sete por mandado de prisão temporária, por tráfico de drogas. Um menor apreendido e autuado em Ato Infracional pelo mesmo crime, porém acabou liberado aos responsáveis após prestar esclarecimentos, por não haver crime de violência ou de grave ameaça. 

Um rapaz que também faz parte da quadrilha já se encontra preso, pois na última segunda-feira (26), após praticar um roubo em Analândia, acabou sendo detido pela Polícia Militar em Itirapina e confessou o crime. 

A Polícia Civil acabou apreendendo 34 invólucros de cocaína, 300 eppendorfs vazios, 40 invólucros de crack, três pedras crack, além de oito porções de maconha e R$ 13.500,00 em dinheiro, sendo a grande parte com o chefe da quadrilha, R$ 12.500,00, em notas de diversos valores, típico da venda de entorpecentes.

As onze pessoas presas foram encaminhadas ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Rio Claro, sendo que as cinco em flagrante passarão por audiência de custódia no Fórum de Itirapina nesta quarta-feira (28), e as com mandado cumprirão 30 dias de prisão temporária. 

O delegado destacou que a Polícia Civil vem trabalhando para diminuir a criminalidade na cidade de Itirapina, principalmente o tráfico de drogas. “A gente precisa trabalhar muito no setor de inteligência, de investigação, fortalecer a instituição da Polícia Civil, porque é muito importante fazer um trabalho bem feito, com provas concretas, fortes, para que a Justiça seja aplicada. Temos uma equipe boa da Polícia Civil e isso vem dando resultado no trabalho nosso, como essa operação que resultou na prisão dessa quadrilha. O trabalho nosso é esse, desmantelar quem realmente está na cabeça e no tráfico de drogas, prejudicando muitas crianças e adolescentes”, observou Minelli. 

Acusado de homicídio se apresenta a Polícia Civil

Quinta, 15 Fevereiro 2018 19:56 Publicado em Polícia

 

O acusado de ter matado Almir José Dias, de 33 anos, na noite da última segunda-feira (12), Gilvan Torres de Oliveira Filho, de 20 anos, se entregou a Polícia Civil, nos 3º e 5º Distritos Policiais no final da tarde desta quinta-feira (15), onde alegou legítima defesa e informou que não sabe quem apertou o gatilho da arma. 

Segundo a advogada do réu, Drª. Luzia Helena Sanchez, houve um entrevero entre a vítima e o acusado o que resultou no disparo de uma arma de fogo, ceifando a vida de Almir. “Eles entraram em uma luta corporal, a vítima e o réu, e acabou disparando. Ele não sabe se foi ele ou a própria vítima que disparou”, disse. 

A advogada revelou que o motivo da discussão entre Almir e Gilvan foi a venda de um celular e voltou a afirmar que o acusado não sabe informar de onde partiu o tiro que matou a vítima. “Eles tiveram uma discussão por causa de uma venda de um celular, e durante a discussão o réu não sabe quem atirou, se foi ele ou a vítima. Não chegou a ter a venda do celular, estava nas tratativas”, comentou a Drª. Luzia.

De acordo com a Drª. Luzia, só estavam os dois na cena do crime e que Gilvan pegou a motocicleta para fugir. “Ele disse que não tinha criança na casa, que a vítima estava sozinha. A moto ele pegou para fugir. A arma era da vítima”, enfatizou. 

Após o crime, Gilvan ficou escondido em uma mata aguardando, pois era Carnaval, para depois se entregar. “A intenção dele era se entregar desde o começo”, revelou a advogada.

Assim que se apresentou no nos 3º e 5º Distritos Policiais, Gilvan foi ouvido pelo delegado Rubens Venâncio Feitosa, autuado por homicídio e responderá pelo crime em liberdade.  “Ele se entregou espontaneamente, entregou a arma do crime e, portanto, vai responder em liberdade”, realçou a Drª. Luzia. “Ele disse que foi legítima defesa e vai responder em liberdade, o processo continua”, encerrou a advogada.

Agora a Polícia Civil continuará investigando o caso para saber se a versão apresentada pelo acusado é realmente verdadeira.

 

Crime

 

Almir José Dias foi assassinado covardemente com um tiro de espingarda no condomínio Morada dos Cedros, no distrito de Água Vermelha, em São Carlos, na última segunda-feira (12).

A vítima chegou a ser socorrida pelos familiares no carro de sua propriedade até a Base Operacional do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e uma Unidade de Suporte Avançado (USA) permaneceu no aguardando a chegada de Almir, que recebeu os primeiros atendimentos e foi levado com graves ferimentos até a Santa Casa, onde ao dar entrada na unidade hospitalar, acabou não resistindo e morreu.

 

Localização da moto

 

A Polícia Militar de São Carlos localizou na manhã desta quinta-feira uma motocicleta CG Titan, 125 CC, prata, que seria de Almir José Dias que foi assassinado covardemente com um tiro de espingarda no condomínio Morada dos Cedros, na última segunda-feira, foi encontrada pela Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), abandonada em um canavial de uma fazenda no km 252 da rodovia Thales de Lorena Peixoto Junior (SP-318).

A PM foi averiguar uma denúncia de que a moto estaria na região, assim como o autor do crime, e as equipes da Rocam, comandadas pelo 1º Sargento Jenuy e compostas pelos Cabos Oliveira, Perez e Soldados Amaral, Tacon e Willen, encontraram o veículo que seria da vítima, porém o suspeito não foi capturado.

A Polícia Científica foi acionada até o local e o veículo foi levado para o 3º Distrito Policial, onde um boletim de ocorrência foi confeccionado, sendo o veículo recolhido ao Pátio Municipal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.