Sábado, 19 Agosto 2017  01:34:46

Evento-teste de triatlo movimenta o Rio e apresenta a atletas cenários de provas

  • Escrito por  Agência Brasil

Ao contrário do que se vê normalmente aos sábados e domingos, na Praia de Copacabana, os atletas de fim de semana não tiveram vez neste domingo (2). A praia foi ocupada por 150 atletas de alto nível, de 25 países, que disputaram o Classificatório Olímpico Mundial de Triatlo e concorreram a seis vagas para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

As provas tomaram a Praia de Copacabana, perto do Forte de Copacabana, na chegada e na largada para 1,5 quilômetro (km) de natação, 10 km de corrida – incluindo um trecho na avenida mais famosa do bairro, a Atlântica – e 40 km de ciclismo, em direção à Lagoa Rodrigo de Freitas, com direito à vista para o Cristo Redentor.

Turistas, curiosos e torcedores se aglomeraram perto do forte, para dar apoio aos atletas e observar a movimentação atípica. Foi o caso de Marcia Del Santo, de Porto Alegre, que, de férias, aproveitou para incentivar os participantes das provas.

“Gosto muito de esporte, e está [tudo] muito bonito, muito bem organizado, o Rio é lindo, então, estou pensando até em vir para os Jogos, apesar de ser difícil comprar as entradas.”

Das seis vagas disponíveis, três ficaram com a americana Gwen Jorgensen, a primeira colocada, e com as britânicas Non Stanford e Vicky Holland, segundo e terceiro lugares.

A brasileira mais bem classificada foi Pamella Oliveira, na 15º posição. Ela já estava classificada para Olimpíadas, por ter conquistados bons índices em outras competições nacionais e internacionais. “A competição foi muito dura, mas fiquei feliz com minha performance”, disse Pamella, que pretende agora melhorar o desempenho na natação e no ciclismo para os Jogos.

Entre os homens, o espanhol Javier Gomez, prata nas Olimpíadas de Londres, chegou em primeiro em Copacabana, à frente do francês Vincent Luis e do sul-africano Richard Murray, que ficaram com a segunda e terceira posições. O favorito, o britânico Alistair Brownlle, campeão olímpico, chegou em décimo, e o brasileiro mais rápido nessa modalidade foi Danilo Pimentel, no 32º lugar.

A competição de triatlo, incluindo a prova do paratriatlon realizada ontem (1º), é o segundo evento-teste para os Jogos, de um total de 45, daqui a menos de um ano. O primeiro foi a Regata Internacional de Vela, na Marina da Glória, há um ano. O objetivo desses eventos é verificar se o percurso e as condições climáticas estão adequadas, além de observar se os esquemas de trânsito, de transporte dos atletas, e de serviço médico, por exemplo, estão ajustados à rotina da cidade.

Um dos aspectos a serem avaliados é a integração da cidade com o evento. "Por serem realizadas ao ar livre, as provas têm um impacto direto para a população local”, disse a gerente-geral de Eventos-Teste do Comitê Rio 2016, Delphine Moulin, segundo informações do site Rio 2016.

Para as competições deste final de semana foram feitos esquemas especiais de trânsito que fecharam alguns trechos na região, como a Avenida Atlântica. As vias serão liberadas aos poucos e o trânsito volta ao normal nesta segunda-feira (3), às 6h, segundo a prefeitura.

 

*Colaborou Dylan Araújo, do Radiojornalismo

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.