28 de Maio de 2022

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Caso Bombeiro: Fiscais não conseguem entrar em restaurante

Caso Bombeiro: Fiscais não conseguem entrar em restaurante

17/11/2011 10h13 - Atualizado há 11 anos Publicado por: Redação
Caso Bombeiro: Fiscais não conseguem entrar em restaurante

Na última segunda-feira (14), funcionários do Corpo de Bombeiros de São Carlos, assustaram quando receberam a alimentação fornecida por uma empresa de São Paulo que atua por meio de licitação na cidade. Os bombeiros encontraram bigatos (espécie de larva) na marmita entregue.

Ontem (16), fiscais da Vigilância Sanitária de São Carlos estiveram no restaurante responsável por fornecer as refeições pela empresa, interditado desde segunda-feira. Ao chegar ao local, os fiscais foram barrados e não conseguiram entrar para averiguação.

Em agosto, no último dia em que a mesma empresa teria para prestar serviços de alimentação ao Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de São Carlos, um outro episódio foi registrado. Na época, os funcionários do SAAE observaram que os lanches que seriam servidos no café da manhã estavam estragados.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de São Carlos, as providências necessárias foram tomadas no mesmo dia do ocorrido. O serviço foi suspenso automaticamente.

A Vigilância Sanitária foi acionada, na própria segunda, pelo Plantão Policial da Polícia Civil onde o próprio Corpo de Bombeiros registrou um boletim de ocorrência. Segundo a assessoria, o Corpo de Bombeiros já havia reclamado por meio de um oficio questionando a pontualidade da entrega das alimentações pela empresa e sobre a forma como o transporte das mesmas era realizado. A empresa foi notificada e os problemas a princípio, resolvidos.

A Secretária de Governo relatou o fato para o Departamento Jurídico da prefeitura que juntamente com o relatório da Vigilância Sanitária, analisará os fatos e decidirá, através de base jurídica, o cancelamento do contrato com a empresa e quais punições poderá sofrer, como multa ou até mesmo suspensão por um determinado prazo para concorrer a outras licitações. A assessoria da prefeitura destaca que a empresa venceu a licitação, via pregão eletrônico, porque, a princípio, estava em ordem com as exigências previstas para a licitação, estando habilitada para prestar o serviço.

Corpo de Bombeiro – Em nota, a assessoria de imprensa da Prefeitura Municipal de São Carlos, destacou que mantêm o Fundo Especial dos Bombeiros (Febom) que repassa recursos na ordem de R$ 400 mil por ano para a manutenção da corporação. 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x