9 de Maio de 2021

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Covid-19 cresce 62,8% no 2º bimestre em São Carlos

Covid-19 cresce 62,8% no 2º bimestre em São Carlos

Relatório mensal do comitê de combate ao coronavírus da UFSCar indica déficit de 33% nos testes que fazem diagnóstico da doença

04/05/2021 05h44 - Atualizado há 5 dias Publicado por: Redação
Covid-19 cresce 62,8% no 2º bimestre em São Carlos Fotos: Divulgação

A atualização dos dados sobre a pandemia de Covid-19 em São Carlos (SP) feita pelo professor do Departamento de Medicina da Universidade Federal de São Carlos (SP) e médico epidemiologista, Bernardino Geraldo Alves Souto, indica que o número mensal de casos da Covid-19 caiu 15,16% entre março e abril de 2021.

Contudo, em 2021, quando se compara os números de casos da Covid-19 de março e abril aos registrados em janeiro e fevereiro observa-se a elevação de 62,86% na média do bimestre. Isso leva ao raciocínio que, mesmo com a queda de casos registrada nos dois últimos meses, o número de notificações é superior ao registrado no início do ano.

As mortes pela Covid-19 caíram entre março e abril, porém em menor proporção do que o número de casos (3,8%). Foram 75 mortes em abril comparadas ao registro de 78 no mês passado. São Carlos registra desde o início da pandemia, em março do ano passado, 302 óbitos confirmados pela Covid-19 e ainda 60.909 pessoas contaminadas pelo coronavírus.

Outro dado relevante apontado pelo boletim Covid-19 da UFSCar refere-se ao número de testes para o diagnóstico da doença na rede de saúde do município. Foram realizados, em média, 179 diagnósticos por dia, o que representa 33% a menos que o mesmo período em março.

“O município deveria ter realizado, aproximadamente, 1,9 mil diagnósticos por dia como uma das estratégias para minimizar a subnotificação em abril”, relata.

O documento estima que a subnotificação neste período possa ter chegado a 91%. “Para cada caso detectado suspeita-se que possa ter havido 9 que não chegaram ao conhecimento da Vigilância Epidemiológica e, portanto, podem ter ficado fora da contagem”, traz o relatório assinado por Bernardino.

O boletim da UFSCar aponta que ainda que o número de novos casos e novas mortes pela Covid-19 tenha tido um declínio, mesmo que discreto, entre março e abril de 2021, a epidemia em São Carlos se mantém fora de controle desde a segunda quinzena de maio de 2020.

Os indicadores apontaram um crescimento desproporcional da epidemia mesmo com a taxa de isolamento social. “Este fato aponta para a necessidade de ajustes no modelo de combate a Covid-19 mediante intensificação e qualificação das medidas já adotadas. Esta contingência provavelmente já chegou ao ponto de não haver alternativa que não seja um lockdown”, traz o texto da análise.

TENDÊNCIA – Segundo dados do epidemiologista da UFSCar, ao se comparar os quatro primeiros meses de 2021 com o mesmo período no ano passado houve um crescimento de 102% na letalidade da Covid-19. Os números foram influenciados pelo aumento da proporção de casos graves entre os infectados, induzido pelo atendimento médico tardio e pela doença mais agressiva com a incidência da variante P1 de Manaus na cidade.

A média mensal do número de pessoas internadas em hospital diariamente, com diagnóstico confirmado de Covid-19, cresceu em 5% entre março e abril de 2021. “Esta elevação preocupa porque cria a expectativa de aumento do número de mortes nas semanas seguintes”, adverte.

VARIANTE – A circulação de uma variante do novo coronavírus mais transmissível (P1) na região já se tornou predominante e está afetando pessoas mais jovens e que mais circulam na comunidade. “Este panorama prevê um controle mais rigoroso sobre a epidemia diante do maior potencial de infecções e de mortes do que já causava anteriormente, envolvendo pessoas mais novas e sem comorbidades”, conclui.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x