22 de Janeiro de 2021

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Medicação pode varias de preço em até 45%

Medicação pode varias de preço em até 45%

02/03/2012 11h42 - Atualizado há 9 anos Publicado por: Redação
Medicação pode varias de preço em até 45%

A variação de preços dos remédiosem São Carlosgira em torno de 40% segundo pesquisa informal feita pela reportagem do Primeira Página em seis estabelecimentos farmacêuticos no centro da cidade.

Foram escolhidos dois medicamentos a base de diclofenato de sódio e de potássio (50  mg, 20 comprimidos), itens com volume de venda acentuados. Em média esses produtos recebem desconto que chegam a 45% do valor real. O preço máximo é estabelecido pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos departamento ligado à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e laboratórios.

Segundo o gerente de uma rede de farmácia com três lojas na cidade, que por contrato não pode revelar o nome e nem o estabelecimento que atua, o preço ao consumidor está ligado ao poder de barganha que cada estabelecimento tem com os laboratórios. “Se uma rede de farmácia compra volumes maiores, o laboratório pode ofertar uma margem maior de lucro que incide diretamente no desconto”, afirmou.

Nesse estabelecimento, o diclofenato de potássio da marca MS, um dos mais populares do mercado, pode ser vendido até a R$ 11,95, mas com o desconto o produto é comercializado a R$ 7,17. “Nesse segmento disputamos clientes por um centavo. Vale mais vender para dez pessoas e ter lucro de um centavo por cliente que vender para um com lucro de dez centavos”, sentenciou o gerente da loja.

Para a diretora de Defesa do Consumidor, Juliana Rossi Carmona, ligada ao Procon São Carlos, o estabelecimento que mantêm o preço máximo fixado pela Anvisa, não ocorrem em erro. “As vendas com desconto estão dentro da livre negociação de cada estabelecimento”, afirmou.

O diclofenato de sódio foi encontrado com preço máximo de R$ 12,50 e com o desconto o preço caiu para R$ 7,50. Nesse produto a variação de preço chegou a 65% . Para o aposentado Paulo Ribeiro Júnior, 65 anos, a maneira de ter o melhor custo benefício é pesquisar. “Por sorte, as farmácias do centro estão relativamente agrupadas, o que facilita a negociação com o atendente, na hora do preço”, afirmou.

Segundo o gerente de farmácia os preços dos medicamentos teem uma alta por ano que geralmente acontece em abril após as rodadas de negociação entre laboratórios e Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos. “Nos últimos anos o reajuste gira entre 3 % e 5%. Esse índice atinge pelo menos 99% dos medicamentos encontrados nas prateleiras das farmácias”, explicou.

Ele também lembra que na comparação entre os preços médios dos genéricos com os de referência de mesma apresentação, constatou-se que, em média, os medicamentos genéricos são 58% mais baratos do que os de referência.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
1 Comentário
Mais antigas
Mais novos Mais Votados
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
Su Mendez
Su Mendez
8 anos atrás

Corrigindo, por favor! O nome é “diclofenaco de sódio ou potássio” e não diclofenato de sódio!
obrigada pela reportagem.

0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x