Moradores de rua comemoram o Natal

22 de dezembro de 2011


Na terça-feira (21) as pessoas atendidas pelo Centro de Referência Especializado de Assistência Social – População de Rua (Creas-Pop) comemoraram a chegada do Natal com um almoço de confraternização que reuniu os freqüentadores do Centro, autoridades locais, funcionários, entre outros convidados.

Segundo Fernando Calzavara, chefe de divisão de políticas e atendimento a população em situação de rua, o evento não seria realizado sem envolvimento da equipe. “Estamos felizes. Houve um envolvimento muito grande da equipe e esse projeto não aconteceria se não trabalhassem em sintonia e com dedicação, se desdobrando para que acontecesse”, comenta.

Diante do prefeito, Oswaldo Barba, e da primeira-dama, Cidinha Duarte, que almoçaram junto com os demais, Renata Cristiane, 31 anos, contou um pouco de sua história. “Infelizmente, estou em situação de rua há quase 20 anos quando sai de casa por vontade própria. Tento levar o meu dia da melhor forma possível sabendo que o dia de amanhã poderá ser melhor”, conta. “Passo o dia aqui no Creas. Eu e meu marido não somos de incomodar as pessoas pedindo pelas ruas, ficamos no nosso canto, quietinhos. Natal é uma época difícil. Meu irmão está preso, minha mãe está passando por dificuldades financeiras, mas minha família esta aqui, onde sempre fui recebida com carinho e respeito”, acrescenta.

A secretária municipal de cidadania e assistência social, Tânia Castilho, considerou o almoço um momento especial. “A gente vem realizando este trabalho para que estas pessoas possam melhorar suas condições de vida, possam reconstituir os vínculos familiares, ter outras oportunidades e mudar a vida dura que levam”, comenta.

O prefeito ressaltou a importância do evento para que a aproximação com o público atendido pelo Creas possa acontecer. “São pessoas com uma vida difícil. A maioria passou por desilusões, falta de oportunidades e acabaram morando na rua. São Carlos tem um trabalho grande com este público e são poucas as cidades que conseguem isso”, explica Barba. “Procuramos dar dignidade, alimentação, local para ficar, apoio psicossocial, médico e vamos oferecer cursos de capacitação para aqueles que querem se inserir no mercado de trabalho e talvez mudar o rumo da vida”, completa Barba.

comments icon 0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *