Cidades

Prefeitura vai realizar diagnóstico da realidade social da criança e do adolescente de São Carlos


O Protocolo de Cooperação Interinstitucional envolvendo o Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e a Rede de Atendimento para a realização do diagnóstico da realidade social da criança e do adolescente de São Carlos foi assinado nesta última quarta-feira (12) de manhã, no auditório do Paço Municipal.
O diagnóstico será realizado com recursos conquistados pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente São Carlos (CMDCA), através da Secretaria Municipal Especial da Infância e Juventude, quando da participação do Programa de Apoio aos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e Adolescente do Instituto CPFL, sendo contemplado em 2019, com R$ 200.000,00 para realização desse estudo.
“O trabalho é importante para Infância e da Juventude da cidade e vai ser muito bom para todos os órgãos para toda a rede de proteção à criança, mais uma vez São Carlos, Capital da Tecnologia sai na frente e são muito poucos os municípios do Brasil que possui esse tipo de diagnóstico”, garante em entrevista exclusiva ao Jornal Primeira Página o secretário da Infância e Juventude, Paulo Wilhelm.
Ele explicou que com esse diagnóstico o município vai ter um raio X completo das crianças e adolescentes de São Carlos. “Com esse diagnóstico nós vamos conseguir ter realmente uma visão da infância e da juventude. Como disse nosso prefeito, de nós vamos tirar as vendas dos olhos do poder público e das instituições para a gente ter realmente um raio X completo de tudo que diz respeito à criança e adolescente na nossa cidade, do 0 aos 29 anos de idade”, ressaltou.
Wilhelm explicou que com o diagnóstico, o poder executivo irá melhorar a distribuição dos recursos vindos do FUMCAD, Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente. “Por meio desse diagnóstico poderemos saber como anda a nossa educação, nossa saúde e como andam os trabalhos que as organizações sociais civis têm feito na cidade, e será um norteador para uma aplicação melhor do dinheiro público e do FUMCAD, um dinheiro que vem da sociedade civil”, finalizou.
A empresa que realizará o estudo foi contratada por meio da Fundação Educacional São Carlos (FESC).
“A realização do diagnóstico irá demorar seis meses para fazer todo esse processo de coleta e depois tem todo o processo interno de sistematização, padronização e análise. Então, o objetivo é de entregar em meados de agosto os primeiros resultados para que a gente possa socializar os primeiros resultados para a sociedade civil”, explicou Maria Helena Provenzano, diretora de projetos da Painel e Consultorias, ao Jornal Primeira Página.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *