Santa Casa abre mão de parceria com a Unimed

11 de agosto de 2019


Com o fim do contrato, hospital público deixará de receber R$ 4 milhões mensais da cooperativa médica

A diretoria da Unimed São Carlos divulgou, na última sexta-feira, 9, investimentos de R$ 25 milhões no antigo prédio da Casa de Saúde, que foi adquirido em leilão realizado em 2017. Hoje, o hospital localizado na Vila Nery e que está fechado possui uma área de 27 mil m² construídos, contudo há mais 20 mil m² de área para a ampliação. A prioridade do investimento nessa primeira etapa é o atendimento pediátrico e de obstetrícia, uma das marcas deixadas pelo também conhecido ‘hospital novo’. Na coletiva, o diretor-presidente da cooperativa médica, Daniel Canedo, confirmou que a Santa Casa abriu mão do contrato de comodato com a Unimed. Sem a parceria, o hospital público perde uma receita de R$ 4 milhões/mês. “Estou surpreso, não nego, mas de consciência limpa”, comentou Canedo.

Na coletiva, tanto Canedo como o diretor-superintendente da Unimed, o médico Ivan Linjard, explicaram que a Casa de Saúde, que se chamará Hospital Unimed São Carlos – Unidade II, atuará em três frentes: ginecologia e obstetrícia, neonatal e pediatria e clínica geral. “Sentimos a necessidade de darmos uma estrutura melhor para a pediatria. Hoje, temos uma UTI infantil integrada à unidade adulta e a gente quer separar esse atendimento para darmos mais comodidade aos familiares”, comentou.

O projeto para a reforma da Casa de Saúde foi aprovado em assembleia realizada no dia 29 de julho. É coordenado pela arquiteta Mariluz Gomes Esteves e pelo engenheiro da Unimed São Carlos, Danilo Bellinatti De Angeli. “Nós fizemos um primeiro projeto, mas achamos que não estava adequado. O prédio tem uma estrutura boa e a gente vai reformá-lo e adaptá-lo ao padrão Unimed. A obra vai custar bastante para adequá-lo às normas vigentes. Vamos aproveitar a estrutura, mas vamos entregar um hospital moderno à população de São Carlos e região”, comentou Canedo.

Estrutura

O projeto prevê a ocupação de quatro pavimentos do prédio. No térreo, estarão localizados os prontos atendimentos pediátrico e obstétrico, com leitos de observação e cadeiras de medicação, com atendimentos de urgência e emergência para essas especialidades. Para agilizar os diagnósticos, haverá também um espaço para exames laboratoriais neste pavimento. Os demais prontos atendimentos continuam a serem feitos no Hospital Unidade I, localizado na rua Alexandrina.

O primeiro andar contará com centros cirúrgicos obstétricos, unidades de internação e apartamentos para parto humanizado, com e sem banheira. No total, serão 24 leitos neste pavimento voltados aos atendimentos ginecológicos e obstétricos. Já o segundo andar será direcionado às internações clínicas gerais e terá 35 leitos. O diretor-superintendente da Unimed, Ivan Linjard, destacou a cautela da cooperativa no planejamento dos investimentos. “Precisamos entender que um projeto desse tamanho precisa ser sustentável. É preciso fazer um planejamento a longo prazo, cumprindo etapas”, disse. A construtora EDG, de Descalvado, será a responsável pelas obras.

O terceiro andar será o espaço de atendimentos neonatal e pediátrico. O pavimento contará com Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e unidades de internação, com um total de 14 leitos.

Ao todo, o Hospital Unimed II contará com 83 leitos. Somados aos 64 leitos já em funcionamento no Hospital I, a Unimed São Carlos contará com 147 leitos na cidade.

A ampliação da infraestrutura da Unimed em São Carlos vem ao encontro do planejamento estratégico de verticalização e expansão da cooperativa, melhorando ainda mais a qualidade de atendimento aos beneficiários e à sociedade.

As obras de reforma do prédio do Hospital II terão início em agosto e a previsão de término é de 9 a 12 meses. Os recursos investidos serão na ordem de R$ 25 milhões.

Santa Casa

Sobre o fim da parceria com a Santa Casa, o diretor-presidente da Unimed se diz surpreso, “mas com a consciência tranquila”. Segundo Daniel Canedo, o hospital beneficente enviou um ofício dando o prazo de um ano para o convênio médico desocupar a Santa Casa. “Nós demoramos para começar esses projetos [ocupação da Casa de Saúde] justamente em função dessa parceria. Estou praticamente há 25 anos na Santa Casa e tenho um amor imenso pelo hospital. A última coisa que a Unimed gostaria, na verdade, era de sair da Santa Casa. Nos últimos anos, fizemos diversas reuniões com a Santa Casa, oferecemos parcerias, inclusive com planos de saúde exclusivos para o hospital público e pedimos a ampliação do arrendamento”, explicou Canedo.

A Unimed aluga um espaço da Santa Casa, pagando por isso. Os funcionários são bancados pelo plano de saúde. “Toda a Santa Casa depende dos convênios e tenho convicção disso. Propusemos várias parcerias para incentivar a Santa Casa a melhorar a estrutura. Propusemos aumento de contratos, propusemos planos de parceria e a gente, estranhamente, recebemos esse ofício com surpresa. Se me perguntar o que será da Santa Casa no futuro, tenho dúvidas e receio. A última coisa que a Unimed São Carlos gostaria é de sair da Santa Casa”, desabafou Canedo.

comments icon 0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *