2 de Dezembro de 2021

Dólar

Euro

Cidades

Jornal Primeira Página > Notícias > Cidades > Universidades geram R$ 846 milhões em São Carlos

Universidades geram R$ 846 milhões em São Carlos

07/11/2011 11h14 - Atualizado há 10 anos Publicado por: Redação
Universidades geram R$ 846 milhões em São Carlos

A Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal (UFSCar) geram um impacto econômico em torno de R$ 846 milhões/ano em São Carlos, um valor superior ao próprio orçamento municipal, que será de R$ 639 milhões em 2012.

O montante, que também é chamado de “capital circulante” contabiliza todo o orçamento das duas instituições de ensino, além de todo o volume de recursos utilizado pelos estudantes universitários de graduação e pós-graduação nos setores imobiliário, de gastronomia, lazer, transportes e outros.

O levantamento não inclui nenhum contrato que as universidades e laboratórios possam firmar com órgãos de fomento à pesquisa ou parcerias com a iniciativa privada. Todas as informações foram coletadas em fontes confiáveis, como a reitoria da UFSCar e no Anuário Estatístico da USP. 

A metodologia usada prevê uma margem de erro de 1,5%.  A informação é resultado de uma pesquisa realizada pelo professor-doutor da Escola de Engenharia da USP, José Benedito Sacomano, que atualmente ele orienta estudantes de mestrado e doutorado em Redes de Negócio e Planejamento de Produção na Faculdade de Administração da Universidade Paulista, em São Paulo (SP). Sacomano foi professor de macroeconomia e de microeconomia da USP São Carlos durante 16 anos.

“Este volume de dinheiro que o mundo universitário faz circular em São Carlos é um diferencial econômico fantástico para São Carlos. Poucas cidades no Brasil têm a primazia de reunir duas grandes universidades deste porte. Se somarmos o resultados econômicos das duas unidades da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) que existem no município, teremos um volume de recursos acima de R$ 1 bilhão”, ressalta Sacomano.

A próxima etapa do estudo prevê justamente o levantamento do impacto  da empresa agropecuária, que reúne mais de 300 pesquisadores em pecuária e instrumentação agropecuária. Em sua terceira etapa, o estudo será feito numa parceria entre Sacomano e o professor do Departamento de Engenharia de Produção da UFSCar, o economista Luis Fernando Paulillo, que estuda o conceito de territórios produtivos, avaliando o impacto dos investimentos do Grupo Damha. 

Sacomano afirma  que iniciou a pesquisa logo após uma matéria do jornal Primeira Página destacar a postura de uma professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP Ribeirão Preto apontar que nem sempre uma grande indústria não representava mais um bom investimento para um município.

O professor afirma que o projeto de pesquisa, por ser solitário e sem apoio econômico está sendo tocado de forma lenta. “Mas ele vai prosseguir, mesmo que demorado. Não podemos perder de vista a precisão das informações. Um plano diretor, por exemplo, não pode ignorar o desenvolvimento econômico da cidade. Para tanto, planejo para 2012, a criação de um Escritório de Pesquisas Econômica pra São Carlos que será pioneiro no Brasil, pois um processo não planejado corre grande risco de fracassar”. 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x