27 de Maio de 2022

Dólar

Euro

Cultura

Jornal Primeira Página > Notícias > Cultura > Contar histórias incentiva leitura e constrói o futuro

Contar histórias incentiva leitura e constrói o futuro

05/03/2012 17h35 - Atualizado há 10 anos Publicado por: Redação
Contar histórias incentiva leitura e constrói o futuro

A “Contação de Histórias” é uma Atividade Curricular de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão (Aciepe). O projeto é realizado através do Departamento de Letras da UFSCar, comandado pela professora doutora Irene Zanette de Castañeda e tem como principal objetivo de incentivar o hábito da leitura para as pessoas interessadas, podendo ser desde crianças até idosos.

A professora Irene conta como foi o início do projeto e qual o objetivo. “A ‘Contação de Histórias’ está ligada ao curso de Literatura Infanto-Juvenil que leciono na UFSCar há dezessete anos e que, por sua vez, também é relacionado à minha tese de Doutorado pela USP/SP sobre os contadores de Histórias de Portugal, do Brasil e de São Carlos.

“A atividade tem como objetivo formar contadores de história que incentivem à leitura, proporcione lazer, criatividade, motive a imaginação e que também esteja implicitamente engajada com questões de ordem social, como eliminação de preconceito, respeito ao outro e com a natureza. E ainda o resgate da autoestima”.

Além do trabalho realizado dentro da UFSCar, o “Contação de Histórias” leva as histórias para as escolas públicas carentes da cidade. “O trabalho é realizado pelos participantes do curso sob minha supervisão. Os meus alunos vão às escolas e às instituições assistenciais como asilo, casa do portador de HIV, crianças de rua, hospitais e outros”, diz a professora Irene.

As obras selecionadas para o projeto são infinitas, desde que esteticamente elaboradas. São livros para crianças, jovens, adultos e idosos. Segundo a professora Irene as obras foram escolhidas de acordo com sua caminhada pela leitura durante sua vida. “Tinha quatro mil livros na minha biblioteca, mas doei mais de dois mil para crianças pobres e pessoas que realmente tinham interesse na leitura. Além da leitura dos livros, faço um trabalho com figuras de jornais, principalmente do Primeira Página, em que os alunos vêem e criam suas histórias. Dá muito trabalho, mas o prazer do resultado positivo é maravilhoso”, comenta Irene.

“A leitura é a atividade mais importante para o indivíduo conhecer o mundo, as pessoas, como pensam, sua cultura e conhecerem a si mesmo, não somente adquirirem conhecimento, mas despertar a sensibilidade dos homens que serão formados. Se respeitarem e amarem uns aos outros”, afirma Irene Castañeda.

A Aciepe conta com vinte vagas destinadas a professores, alunos de graduação, de escolas públicas e entidades assistenciais. Os interessados em participar devem comparecer no primeiro dia de encontro, 15 de março, às 9 horas, na sala 23 ou na sala de Projeção, ambas do Departamento de Letras, na área Sul do campus São Carlos. Mais informações pelo telefone (16) 3351–8358.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x