Cultura

Fãs se despedem de Gugu Liberato na Assembleia Legislativa de SP


Os fãs que compareceram na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, nesta última quinta-feira, 28, para o velório de Gugu Liberato, não se deixaram abalar pela chuva moderada que caiu por toda a cidade pela manhã. O apresentador morreu na sexta-feira, 22, aos 60 anos, vítima de um acidente doméstico em sua casa nos Estados Unidos.
Apesar dos portões só abrirem ao meio-dia, as primeiras pessoas da fila já tinham aparecido há dois dias vindas de Juquiá (SP). Foi o caso de Saulo Duarte Soares, trabalhador autônomo que dormiu por dois dias seguidos na rua. “Gugu é um grande ídolo para mim, por isso vou ficar aqui até o dia do enterro”, disse.
Ele faz parte de uma multidão – até agora não calculada pela Polícia Militar de São Paulo ou pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) – que veio dar um último adeus para aquele que tinham como um grande ídolo.
Esse grande grupo é formado por pessoas de diferentes idades. Ana Carolina Bezerra Nunes, por exemplo, veio com o pai de 80 anos. A jovem de apenas 14, conta que sempre acompanhava o programa Canta Comigo, da Record. “Mas o que me fez ser fã do Gugu foi o quadro Lendas Urbanas. Ali estabelecemos uma ligação. Quando vi a notícia da morte, realmente chorei”, diz.
O pai, emocionado com a ocasião, disse que este é o primeiro – e também o único -, velório de uma grande personalidade que ele acompanha de perto. “Fiz isso pelo Gugu e não faço por mais ninguém. Ele era alguém humilde e generoso, como nunca mais veremos na história da televisão”.
O grupo formado por Ermelinda Vitar Silva e Maria José do Carmo aproveitou a ocasião para celebrar a alegria que o apresentador sempre trazia nas tardes de domingo. Com um violão, elas entoavam músicas religiosas a plenos pulmões. “Ele é alegria, simpatia e carisma, por isso não estamos chorando, mas sim, celebrando.”
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), compareceu ao velório do apresentador, amigo, segundo ele, de quatro décadas. “Foi um amigo com quem convivi por 38 anos, desde que começou na televisão. Era uma pessoa apaixonada, sincera, dedicada, amorosa, que confiava nas suas orações”, disse. Segundo o governador, Gugu exercia sempre o bem, sem publicidade. Ele preferia ser discreto e fazia o bem de forma reservada. Ajudava pessoalmente com seu patrimônio, com seu prestígio, na televisão Não pelo efeito da publicidade, fazia porque atendia o seu coração.”
O corpo do apresentador chegou ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas, interior do Estado, às 6h01 desta última quinta-feira, vindo direto de Orlando (EUA). O corpo seguiu até a Alesp em um comboio simples, sem cortejo. Às 10h20, começou a cerimônia fechada apenas para familiares e amigos. O enterro, que acontece nesta sexta-feira, 29, no Cemitério Gethsemani, também será aberto ao público.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *