2 de Agosto de 2021

Dólar

Euro

Cultura

Jornal Primeira Página > Notícias > Cultura > Mariângela Zan e banda faz show no Sesc

Mariângela Zan e banda faz show no Sesc

07/07/2012 14h29 - Atualizado há 9 anos Publicado por: Redação
Mariângela Zan e banda faz show no Sesc

Apresentando o show “Viagem pela Música Raiz”, Mariângela Zan e sua banda fazem show neste domingo, 8, no Sesc São Carlos, a partir das 15h30, na área de convivência externa. A cantora pretende mostrar ao público a riqueza do folclore brasileiro, como catira, folia de reis e canções tradicionais da música raiz eternizadas há décadas nas vozes dos grandes músicos do estilo.

Mariângela Zan é estudiosa da música brasileira, em especial da cultura raiz caipira. A cantora que é filha do renomado sanfoneiro e compositor Mario Zan, conta que desde a infância se interessa por esse tipo de música, já que cresceu em uma família de adoradores dessas canções.

“Cresci em uma casa musical, acompanhava os ensaios do meu pai, seus colegas da música e também ouvindo discos de estilos musicais variados que minha mãe e meu tio sempre gostaram de ouvir nas festas familiares, o que foi essencial para meu conhecimento musical”, conta.

“A música raiz em especial sempre me encantou, principalmente pelos ‘causos’ que ouvia de meu pai sobre suas viagens e composições e ouvia também dos ícones que frequentavam minha casa como Lourival dos Santos, Tião Carreiro, entre outros. Além disso, todos os dias de manhã, eu ouvia as histórias sobre folclore, contadas no programa de rádio ‘Estrela da Manha’, na Rádio Cultura AM”.

O show “Viagem pela musica raiz com Mariângela Zan e banda” é considerado um dos melhores shows de música caipira da atualidade, bem alegre, divertido e interativo, com músicas que todo mundo canta junto. A banda é composta por um excelente sanfoneiro, discípulo de Mário Zan, Igor Genioli, viola caipira com o professor Felipe Viola integrante da Orquestra Paulistana de Viola caipira, e dos professores Henan Soares na percussão, Edmur no violão e Jorginho no contra baixo.

“Eu tenho a honra de trabalhar bastante nas unidades do Sesc por todo o estado de São Paulo e esta será a segunda vez que me apresento em carreira solo para esse maravilhoso público de São Carlos. A primeira vez em 2009 foi inesquecível, me recordo que o show foi numa tarde no galpão do Sesc e quase no final começou a chover. Mesmo assim a público continuou firme e forte e fizemos uma grande roda de viola com todo mundo até o show acabar”.

 

Herança do pai

Mariângela adquiriu de Mario Zan talento e gosto pela música

Sobre o pai, Mariângela diz que recebeu dele diversos ensinamentos e exemplos para a vida toda, que a ajudaram em sua formação profissional. “Meu pai Mário Zan tinha uma cultura musical vastíssima. Tocava de arrasta-pés a tangos, musicas russas, italianas, de tudo um pouco. Aprendi com ele essa vastidão de ritmos e culturas, além da experiência em palcos. Ele me ensinou a forma de lidar com os variados públicos e escolher o repertório apropriado para cada ocasião. Além do que, meu pai era um profissional muito honesto, o que era combinado com ele era feito. Com isso, aprendi também a sempre agir corretamente em relação as questões burocráticas de minha produtora de shows, sempre visando proporcionar um ótimo trabalho aos profissionais que nos contratam”.

 

Referencias- “Como leio muito sobre a historia dos compositores e ouço muitas coisas, posso citar como influencias os grandes ícones da musica raiz como os grandes gênios Palmeira (da dupla Palmeira e Bia) e Teddy Vieira, ambos compositores de clássicos imortais, como “Couro de boi”, entre outros, Palmeira e Teddy Vieira foram compositores de uma sensibilidade poética e melódica imensas. Mário Zan foi também uma enorme influencia para mim. Gosto também das composições dos grandes Lourival dos Santos e Tião Carreiro. Como cantoras cito nossa rainha Inezita Barroso, pela grande interprete que é e sua admirável cultura folclórica e Inhana por sua técnica e interpretação perfeitas. Admiro também dentro do contexto música brasileira as obras de Chiquinha Gonzaga, Luiz Gonzaga, e dos grandes sambistas da história brasileira e gosto demais da obra do grande compositor Carlos Gomes”, finaliza Mariângela Zan.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x