Cultura

Projeto de leitura é destaque na Praça do Mercadão


Quem passar pela Praça do Mercadão durante os próximos, notará um aspecto diferente no local: uma carreta azul estacionada, estampando o nome “EXPOLIVRO -Paixão pela Leitura”. Trata-se de um projeto itinerante, que após oito anos paralisado, agora retoma as atividades e pretende percorrer diversas cidades do país para despertar o interesse da população pela leitura, além de oferecer outras atividades gratuitas, como palestras, peças de teatro, contação de histórias infantis, entre outras atividades. A carreta ficará em São Carlos até o dia 12 de outubro, e depois partirá rumo a Sertãozinho.

Na cidade, o projeto vai contar com várias atividades. Haverá palestra, na quarta-feira (2) às 19:30, voltada para mulheres. Já na quinta, no mesmo horário, outra palestra voltada para os jovens em busca de qualidade de vida interior. Na sexta-feira, às 19 horas, acontecerá uma palestra e noite de autógrafos com Ezra Ma, autor do livro “Você está preparado para o fim?”. No sábado, haverá atividades do dia da criança, incluindo uma peça de teatro do livro “A Luva Lulu”, pela manhã. À tarde, serão oferecidas atividades referentes ao outubro rosa, focando na saúde da mulher e finalizando com a apresentação do coral de vozes. Marcos conta sobre pessoas que, até então, queriam cometer suicídio e foram salvas pelo programa.  

O projeto EXPOLIVRO nasceu dezembro de 1991, idealizado por Dong Lan, mestre e pastor chinês, visando introduzir o elemento típico da cultura oriental na cultura brasileira: o hábito da leitura. Além disso, havia também o propósito de acelerar a obra de evangelização, utilizando-se de ônibus adaptados, transformados em livraria-biblioteca, começou a percorrer as cidades do Brasil e outros países da América do Sul, divulgando e distribuindo livros espirituais e Bíblias. A ideia do projeto era deixar o ser humano equilibrado, nos aspectos da saúde mental, física e espiritual. Ao final do projeto, em 2011, havia sete ônibus rodando cidades do Brasil e da América Latina. Entretanto, o custo operacional do projeto havia subido muito, devido aos gastos com manutenção dos ônibus, o que levou à sua paralisação momentânea.

O projeto foi retomado este ano, contando com três carretas: uma para a região Sudeste (que está em São Carlos), outra para a Região Sul (que está em Chapecó) e outra que será inaugurada em dezembro, visando a Região Nordeste. No Paraguai, já há um projeto semelhante, sendo realizado com um caminhão baú. Quem gerencia o projeto atualmente é Marcos, que o conheceu há 23 anos, em Belém-PA. Neste ano, ele decidiu deixar o emprego de gerente em uma multinacional de energia, para dedicar-se exclusivamente ao projeto EXPOLIVRO. “Trabalhar com gente me atrai muito, principalmente com os atuais problemas que afligem a nossa sociedade, como o elevado índice de suicídios”, diz Marcos.

Nas cidades, a carreta fica estacionada em pontos estratégicos, normalmente nas principais praças ou calçadões, onde há maior movimentação de pessoas. A equipe do EXPOLIVRO conta com o apoio espiritual e material das igrejas da região. Além dos livros, o projeto oferece palestras baseadas nos temas dos livros em exposição para leitura e aquisição; apresentações musicais e atividades infantis (contação de histórias). Essas palestras e apresentações são realizadas no próprio EXPOLIVRO ou em auditórios das cidades, dependendo do número de participantes. O EXPOLIVRO é aberto a visitas de moradores da própria cidade e das cidades vizinhas.

O projeto pertence ao Instituto Vida para Todos e tem chancela da Editora árvore da vida, tem parceria com a Sociedade Bíblica do Brasil. Mesmo com a ascensão dos livros digitais, Marcos conta que a procura pela carreta continua em alta. “A pessoa quando entra na EXPOLIVRO, ela não quer o livro digital, mas sim quer sentir o livro, pegar na mão, ver o começo, meio e fim, enfim, sentir o cheiro do livro novo. Ter a emoção da leitura”, disse o coordenador. Além disso, as pessoas também entram na carreta buscando apoio emocional. “Muitas vezes as pessoas estavam apenas precisando de um abraço. Lembro de uma senhora que entrou na carreta e pediu um abraço, dizendo que era o seu aniversário e sua filha não havia lhe abraçado”, contou Marcos.

Na retomada do projeto, ele já esteve em quatro cidades: Campinas, Campos do Jordão, Taubaté e agora em São Carlos. Marcos conta que a passagem por Taubaté foi bastante especial. “Taubaté foi uma cidade que me impressionou, tivemos um recorde de visitação na EXPOLIVRO, pois a cidade tem o hábito de leitura, principalmente em livros infantis, já que é a cidade natal de Monteiro Lobato”, relembra.

 Como já citado anteriormente, uma das preocupações de Marcos é ajudar no combate à ansiedade e depressão. Ele lembra que, em Taubaté, um grupo de adolescentes o procurou para conversar sobre ansiedade e depressão. “A sociedade impõe uma carga tão pesada sobre o jovem, em relação à vida material, e nessa busca pelo bem-estar material perdeu-se os valores. A aparência vale mais do que aspecto interior da pessoa” opinou o gestor. Ele viu diretores de empresas abandonando seus empregos e buscando morar em cidades afastadas ou com praia, para ter maior qualidade de vida.

O projeto EXPOLIVRO é apenas itinerante, não há a ideia de tornar-se fixo nas cidades. O projeto fixo é o Bookafé, um tipo de estabelecimento que junta cafeteria e livraria. Ele já está presente em mais de 400 cidades do Brasil e do exterior.

HISTÓRIA MARCANTE

Compartilhando a vivência no projeto, Marcos conta uma história marcante que aconteceu em Campinas. Na cidade, uma pessoa, em situação de rua, contou sua história de vida. Ele era de Ribeirão Preto mas foi morar em Praia Grande para trabalhar. No entanto, como perdeu o emprego e foi abandonado pela esposa, acabou indo viver na rua, pois não tinha dinheiro para pagar aluguel. O que chamou atenção de Marcos é que o homem era uma pessoa limpa, bem-educada, culta e não tinha vício em drogas ou álcool.

Na carreta do EXPOLIVRO, ele pediu a Marcos que o ajudasse a ter uma nova chance profissional. Nesse momento, Marcos conversou com um coordenador do Centro de Aperfeiçoamento para a Propagação do Evangelho, o CEAPE, entidade parceira do projeto EXPOLIVRO, responsável por preparar pessoas para pregar o evangelho. Desde então, o cidadão passou a integrar o CEAPE e receber aprendizagem, além de condições dignas de moradia e sobrevivência.

A coincidência da história é que essa pessoa chamava-se Onésimo, nome igual a um personagem bíblico, que era escravo fugitivo e converteu-se ao Cristianismo pelas mãos do apóstolo Paulo. O apóstolo, inclusive, estava preso quando escreveu a Filemon, uma epístola pedindo a libertação de Onésimo. “Ali eu percebi que era algo de Deus, foi uma experiência muito forte, e agora ele está em uma nova vida, colaborando com os irmãos no CEAPE” finalizou Marcos.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *