6 de Dezembro de 2021

Dólar

Euro

Cultura

Jornal Primeira Página > Notícias > Cultura > Sarah Mascarenhas concorre a prêmio latino-americano

Sarah Mascarenhas concorre a prêmio latino-americano

Programa de rádio Hora do Sabbat, comandado por ela há quatro anos, ainda concorre ao prêmio na modalidade Convergência

28/10/2021 07h51 - Atualizado há 1 mês Publicado por: Redação
Sarah Mascarenhas concorre a prêmio latino-americano Fotos: Arquivo Pessoal
Reportagem: Hever Costa Lima

A jornalista Sarah Mascarenhas, neta dos cientistas Sérgio e Yvonne Mascarenhas, concorre pela segunda vez ao prêmio da plataforma WME, sigla da Women’s Music Event, que chega à 6ª edição em 2021. A premiação celebra o protagonismo da mulher, seja na música, na indústria do entretenimento e na comunicação.

Sarah concorre pelo programa de rádio Hora do Sabbat – Espaço de Visibilidade da Mulher Arteira e Fazedora e como melhor radialista do ano, nesta última categoria, concorrendo com outras mulheres da América Latina. No ar desde 2018 na rádio da Unicesp, na Baixada Santista, onde Sarah vive desde 2017, o programa, que é comandado por ela e mais outras quatro mulheres, tem uma característica básica: se propõe a dar expressão e vitrine às ações das mulheres que estão produzindo e movimentando o país.

O Hora do Sabbat concorre na modalidade Convergência. Para explicar o trabalho, Sarah usa da analogia: “Sou uma costureira de conteúdo. No formato de almanaque, o programa com duas horas de duração traz sempre a minha voz e a das mulheres da equipe, com conteúdo diverso sobre o universo feminino e só som feito por mulheres”.

Segundo Sarah, o prêmio WME é a maior premiação da mulher na música, na América Latina.

O programa está no quarto ano de atuação, com cinco temporadas e uma média de 45 edições por ano. Em São Carlos, pode ser ouvido pela web rádio Pagu. No País, já chega em dois estados e no Distrito Federal, com média de 800 mil ouvintes por semana. A Hora do Sabbat ainda está disponível via podcast nas plataformas de streaming e no portal Mulher na Música. “Nós temos uma boa penetração no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Mas, para 2022 estou articulando entrar em rádios do Norte e Nordeste. Estou levando o nome de São Carlos para frente”.

Sarah disse que o tema preferido do programa é autonomia e empoderamento feminino. O olhar busca as histórias das mulheres de um lugar de inspiração e não de denúncia. “Trazer sempre a perspectiva do acolhimento, do estímulo e do incentivo. Como jornalista, eu abordo as histórias pelo viés das lutas e conquistas. Temos de lutar diariamente contra o preconceito e discriminação por sermos mulheres”.

Sarah contou que nos quatro anos de atividade conseguiu reunir mais de 20 colaboradores, inclusive a avó Yvonne Mascarenhas. “Nenhuma delas havia tido experiência com rádio. De certa forma, o programa estimulou essas mulheres a olhar para a profissão de uma maneira ao percebendo que ela tem capacidade de aprender e desenvolver habilidade em outros espectros”.

Configuração

Prêmio reúne votos de júri técnico e população

O WME Awards by Music2 tem três frentes de premiações: voto popular, voto do júri técnico e as homenageadas da edição. O voto popular decidirá as vencedoras nas categorias álbum do ano, música latino-americana, cantora, DJ, música alternativa, videoclipe, música mainstream e revelação. Caberá ao júri técnico a escolha das vencedoras nas categorias de produtora musical, diretora de videoclipe, instrumentista, compositora, empreendedora musical, jornalista musical, radialista, profissional do ano e inovação na web.

Na soma das indicações, nas categorias divididas pelo voto popular pelo júri técnico, Duda Beat lidera com 5 menções, seguida por Luísa Sonza (com quatro), e Ludmilla e Marília Mendonça, com três indicações cada. As homenageadas deste ano são Sandra de Sá e Cássia Eller.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x