DICAS PROFISSIONAIS PARA MELHORAR SUA EMPRESA NAS REDES SOCIAIS

7 de agosto de 2019


Quem trabalha sério com marketing sempre tem um pé atrás com número de curtidas e seguidores de redes sociais, principalmente no Instagram. Isso devido alguns programas e softwares de automação que “vendem” seguidores tão autênticos quanto o Rolex da barraquinha do camelô. É aquilo que chamamos de “métricas de ego”, não fazem grande diferença no negócio, mas a dona vai mostrar para todas as amigas falando que tem milhares de seguidores e se achando o máximo.

Recentemente aconteceram duas coisas para abalar e expor essa métrica:

O Instagram está fazendo testes de tirar o número de seguidores dos perfis

O Instagram (e demais redes como YouTube) estão muito preocupados com que algumas pessoas e marcas fazem para conseguir seguidores e visualizações de perfis e canais. O Instagram quer que as pessoas produzam material de qualidade que façam as pessoas interagirem. Se quiser angariar seguidores, que se faça algo que as pessoas esperam encontrar e parem de se preocupar se seus concorrentes têm um número de seguidores maior.  Além disso, um número inflado de seguidores fakes só prejudica a entrega para fãs reais.

Por isso, tudo indica que milhares de “influencers” vão ter que se esforçar bastante daqui pra frente.

Esse lance de influencer remete a outro acontecimento…

O caso das 36 camisetas

Uma garota que administra um perfil com dois milhões de seguidores anunciou que a empresa de roupas com quem tinha uma parceria estava rompendo relações por ela ter conseguido vender apenas 36 camisetas de uma linha com sua marca. 

Isso acontece por duas razões: uma coisa é ter gente que segue uma marca e outra é gente que está disposta a comprar algo. No caso dela, muita gente não tinha interesse de comprar nada. Nunca confunda número de seguidores com clientes.

Uma das razões apontadas para o fracasso é que a garota não fez muita coisa para promover a linha de roupas. Achava que ela por si só venderia algo, e isso é furada. Para vender algo não basta ter seguidores, é importante que o “influencer” dedique atenção ao produto, faça postagens, stories, vídeos etc.

Trabalhar com influencers não dá certo?

Isso é relativo. O importante que antes de contratar uma pessoa para trabalhar com sua marca verifique como ela vai trabalhar, quantos posts vai fazer, que tipo de post, qual o histórico dela, com quem já trabalhou e se possível verifique como foram os resultados. Lembre-se que curtidas não pagam contas.

comments icon 0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *