26 de Junho de 2022

Dólar

Euro

Economia

Jornal Primeira Página > Notícias > Economia > BC decreta intervenção no Banco Cruzeiro do Sul

BC decreta intervenção no Banco Cruzeiro do Sul

04/06/2012 13h32 - Atualizado há 10 anos Publicado por: Redação
BC decreta intervenção no Banco Cruzeiro do Sul

O Banco Central decretou nesta segunda-feira, 4, Regime de em itens do ativo”, mas não deu detalhes. A autoridade monetária informou ainda que os bens dos Administração Especial Temporária (Raet) no Banco Cruzeiro do Sul por 180 dias após ter identificado descumprimento de regras do sistema financeiro.

 

O BC informou em comunicado que foi identificada “insubsistência controladores e dos ex-administradores da instituição foram tornados indisponíveis.

A autoridade monetária também instituiu o Raet pelo mesmo prazo nas empresas do grupo Cruzeiro do Sul, que incluem Cruzeiro do Sul Corretora de Valores e Mercadorias, Cruzeiro do Sul DTVM, e Cruzeiro do Sul Companhia Securitizadora de Créditos Financeiros.

A intervenção foi decretada depois que o Cruzeiro do Sul informou na sexta-feira que manteve entendimentos sobre “alternativas estratégicas” para seus negócios.

Por meio do Raet, o BC substitui os dirigentes da instituição por um conselho de diretores ou por uma pessoa jurídica especializada para corrigir procedimentos operacionais ou eliminar deficiências que possam comprometer o funcionamento. Como resultado da intervenção, o BC nomeou o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) como administrador especial da instituição.

O Cruzeiro do Sul detinha no final de 2011 ativos que representavam 0,22 por cento do total do sistema financeiro e 0,35 por cento dos depósitos, segundo o BC. As operações estão concentradas em duas agências de São Paulo e Rio de Janeiro, com mais seis agências em Campinas (SP), Salvador, Recife, Belém, Macapá e Palmas.

Segundo o BC, intervenções por motivos similares aos do Cruzeiro do Sul foram decretadas na década de 1990 nos bancos Bamerindus, Econômico e Nacional.

Procurados, representantes do Cruzeiro do Sul não puderam comentar o assunto de imediato.

 

ROMBO

O Cruzeiro do Sul foi comprado em 1993 pela família Indio da Costa e no mesmo ano ingressou no mercado de crédito consignado. Segundo o site da instituição, atualmente, o banco é parte de 337 convênios de crédito consignado a funcionários públicos, aposentados e pensionistas no país.

O BC informou que o Raet não afeta o andamento dos negócios do Cruzeiro do Sul, “que continua a funcionar normalmente, podendo realizar todas as operações para as quais está autorizado”, e que o regime preserva relação de credores e devedores com a instituição.

Segundo jornais publicaram nesta segunda-feira, o BC teria identificado rombo acima de 1 bilhão de reais nas contas do Cruzeiro do Sul, com registro de créditos fictícios no balanço da instituição. A intervenção foi decretada, segundo jornais, depois de fracassarem negociações para compra do banco pelo BTG Pactual.

O Cruzeiro do Sul teve prejuízo de 57,9 milhões de reais no primeiro trimestre, ante lucro de 32 milhões de reais no quarto trimestre de 2011 e de 41 milhões de reais um ano antes.

O banco vendeu mais de 300 milhões de dólares em títulos nos mercados internacionais no ano passado, mas essa fonte de recursos secou em decorrência da crise de dívida que atingiu muitos países da Europa.

Na sexta-feira, a ação do Cruzeiro do Sul encerrou com tombo de mais de 15 por cento, para 7,60 reais.

Em outubro, o BC decretou a liquidação extrajudicial do Banco Morada, com base em relatório de interventor que apontou situação de insolvência do banco e violação de regras legais. A liquidação extrajudicial do Morada foi a primeira feita pelo BC desde o Banco Santos, em maio de 2005, e ocorreu depois que a autoridade monetária detectou em 2010 fraude em vendas de carteiras do Banco Panamericano, que acabou vendido ao BTG Pactual. (reportagem adicional de Luciana Otoni, em Brasília, e Guillermo Parra-Bernalem São Paulo)

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x