26 de Fevereiro de 2021

Dólar

Euro

Economia

Jornal Primeira Página > Notícias > Economia > BCE mantém instrumentos de política monetária

BCE mantém instrumentos de política monetária

Juros em níveis atuais ou abaixo até que a sua meta de inflação serão mantidos

23/01/2021 11h15 - Atualizado há 1 mês Publicado por: Redação
BCE mantém instrumentos de política monetária Foto: Divulgação

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu manter as suas principais taxas de juros e o volume atual do Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) após reunião de política monetária, como era previsto pelo mercado. A taxa de refinanciamentos permaneceu em 0% e a de depósitos, em -0,50%. As compras de ativos emergenciais foram mantidas em 1,85 bilhão de euros e o BCE informou que manterá o PEPP até pelo menos o final de março de 2022.

O BCE reafirmou que manterá os juros em níveis atuais ou abaixo até que a sua meta de inflação, pouco menor que 2% ao ano, seja atingida. Quanto às compras emergenciais, o BCE disse que a retirada do programa será administrada de forma a “evitar interferências na orientação adequada da política monetária”.

O programa de compra de ativos (APP, na sigla em inglês) do BCE também não sofreu mudanças, e seguirá no atual ritmo mensal de 20 bilhões de euros, informou a entidade monetária. Sem alterações, as operações de refinanciamento de longo prazo (TLRO) continuam sendo uma “fonte atrativa de financiamento para bancos”, afirmou o BCE no seu comunicado.

Apesar de ter decidido por não recalibrar os instrumentos de sua política acomodatícia – mesmo após o recrudescimento da pandemia de covid-19 na Europa – o Conselho do BCE afirmou que “continuar pronto para ajustar as medidas quando for adequado, para garantir que a inflação se mova em direção à meta de forma sustentada”.

EUA – Os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos recuaram em 26 mil na semana encerrada no dia 16 de janeiro, ficando em 900 mil, informou nesta quinta-feira, 21, o Departamento do Trabalho. Analistas ouvidos pelo Wall Street Journal previam 925 mil solicitações. Os pedidos de auxílio continuados, que saem com uma semana de atraso, tiveram baixa de 127 mil, a 5,054 milhões.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x