Comércio perde 208 vagas de carteira assinada

12 de junho de 2019


Cenário nacional influenciou as expectativas e interrompeu novos investimentos

O comércio de São Carlos registrou saldo negativo de vagas no primeiro quadrimestre deste ano, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados  (Caged) do Ministério do Trabalho  e Emprego (MTE).  Entre janeiro e abril, foram 2.353  admissões e  2.561 desligamentos. A indústria  também registrou saldo negativo no primeiro quadrimestre (-  257) e nos últimos 12 meses (-233).
Saldos positivos foram registrados no setor de serviços, de janeiro a abril (180)  e nos últimos 12 meses (373) e   também na construção civil, nos dois mesmos períodos (77 e 31, respectivamente). O saldo de todos os setores – comércio, serviços, indústria e construção civil –  de janeiro a abril foi negativo no município, com baixa de 152 vagas.
De acordo com o economista e professor Elton Eustáquio Casagrande, os números tratam do trabalho formal, com carteira assinada. Para ele, o que explica esse cenário foi a mudança de expectativas. “De janeiro até o final de março o cenário esperado pelos empresários de vários setores era significativamente positivo, até pelos índices de confiança da Federação do Comércio do Estado de São Paulo.  A partir de abril, a pauta de gestão do governo federal perdeu objetividade, com a chegada da Lava Jato aos bancos e as tentativas de paralisar a operação.  Isso somado às turbulências nas pautas do  congresso, supremo, governo   interrompeu planos de investimento e  expansão empresariais”, analisa.
Ainda segundo Casagrande, mudanças na legislação mudaram a interpretação sobre a capacidade de sobrevivência e médio prazo, reduziram o poder de compra e capacidade de consumo, esfriando o mercado de trabalho, numa reação em cadeia.  Para o especialista,  enquanto não for solucionada a queda de braço entre o pacote anticorrupção e o congresso, não teremos paz.
Casagrande acredita que, se não cair nenhum ministro importante e houver  a reforma, é possível que sejam retomadas as expectativas em julho.
CONTRAMÃO – Na contramão do setor, as lojas da família de  Isabela Predi abriram vagas nos últimos meses. Nas quatro empresas ligadas ao vestuário masculino, feminino e infantil houve criação de novos postos e abertura de vagas para substituir profissionais.  Diferente do que se poderia imaginar, num cenário de desemprego alarmante, contratar parece tão difícil como conseguir um novo emprego.
Segundo Isabela, que trabalhou durante 8 anos no setor de Recrutamento e Seleção, faltam profissionais qualificados e disponíveis para ocupar as vagas ofertadas, o que torna o cenário “assustador” para quem precisa fazer uma contratação. A empresária lembra que existem várias formas para o candidato se preparar para uma entrevista  de emprego e recomenda aos trabalhadores que pleiteam uma recolocação que busquem conhecimento e não apenas dicas de como se livrar de eventuais armadilhas da seleção e que demonstrem sempre boa vontade.
Diante de um cenário de crise, o economista Elton Casagrande orienta  a população  a investir e valorizar aquilo que edifica o ser humano e leva gerações à frente: educação, nutrição, segurança e controle dos gastos. A dica é para que  as famílias cuidem daquilo que é essencial enquanto aguarda os desdobramentos do cenário político e econômico nacional.

comments icon 0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *