Economia

Japonesa Kirin compra 50,45% da Schincariol

• Bookmarks: 2


Schin siteA empresa japonesa Kirin Holdings anunciou a compra de 50,45% da cervejaria brasileira Schincariol por 198,8 bilhões de ienes (2,56 bilhões de dólares), no âmbito de uma política de internacionalização para compensar o decadente mercado japonês.

A Schincariol, segunda maior cervejaria do país, tem marcas como Nova Schin, Devassa Bem Loura, Glacial, Baden Baden e Eisenbahn. Além da cerveja, que representa 81,6% de seu faturamento, o grupo produz refrigerantes (terceiro fabricante brasileiro), sucos de frutas e água mineral.

A Kirin, com sede em Tóquio, comprou a totalidade da participação (50,45%) que a empresa familiar Aleadri-Schinner Participações e Representações S.A tinha da Schincariol.

O grupo brasileiro, que emprega 10 mil pessoas, alcançou um faturamento de 2,85 bilhões de reais em 2010.

Kirin, já presente na Ásia e na Oceania, coloca os pés em um mercado brasileiro em pleno crescimento.

Em um comunicado, indicou que financiou a operação, que tem efeito imediato, com fundos próprios e recurso a empréstimos.

Embora seu diretor-geral, Senji Miyake, tenha afirmado o contrário em uma coletiva de imprensa, a Kirin aproveitou, ao que parece, o vigor atual do iene para efetuar a um preço interessante a operação, realizada em moeda brasileira.

“Os mercados da cerveja e das bebidas sem álcool são importantes e muito promissores no Brasil; cada um deles representa cerca de 3 bilhões de ienes e devem se desenvolver à medida que a economia e a população brasileira sigam crescendo”, afirmou o comunicado da Kirin.

A operação entusiasmou menos a agência de classificação Moody’s, que colocou a dívida em longo prazo da Kirin em perspectiva “negativa”, por considerar que enfraquece seu perfil de crédito e a leva a agir “em um mercado no qual tem um conhecimento limitado”.

O mercado brasileiro é dominado pela AmBev, que em 2005 se uniu com a belga Interbrew e em 2008 tornou-se a maior fabricante mundial, após absorver a Anheuser-Busch.

A Kirin impulsiona uma política ativa de expansão mediante associações e aquisições desde o início de 2010, quando fracassou seu projeto de fusão com a também japonesa Suntory.

A Kirin comprou no ano passado 14,7% do capital da Fraser & Neavedu, maior fabricante de bebidas de Cingapura, por 84,6 bilhões de ienes.

A empresa também possui a marca Lion Nathan, da Austrália, e 48% da San Miguel Brewery, das Filipinas.

Assim como seus competidores locais, busca reduzir sua dependência do mercado japonês, onde o consumo de cerveja cai devido à redução da população do país e pelo auge de outras bebidas.

A produção da indústria cervejeira no arquipélago caiu 3,5% em junho.{jcomments on}

2 recommended
comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *