26 de Junho de 2022

Dólar

Euro

Economia

Jornal Primeira Página > Notícias > Economia > Mercado reduz estimativa de PIB 2,72%

Mercado reduz estimativa de PIB 2,72%

04/06/2012 13h28 - Atualizado há 10 anos Publicado por: Redação
Mercado reduz estimativa de PIB 2,72%

Em meio a sinais de que a economia brasileira vem encontrando dificuldades para deslanchar, o mercado reduziu ainda mais a previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012 para 2,72%, ante 2,99% na semana anterior, mostrou relatório Focus do Banco Central nesta segunda-feira, 4.

 

No relatório da semana passada, analistas falaram pela primeira vez em PIB abaixo de 3 por cento e poucos dias depois, na sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que o PIB cresceu apenas 0,2% no primeiro trimestre deste ano, quando comparado com o quarto trimestre de 2011.

Em relação à Selic, analistas mantiveram a perspectiva para o final deste ano em 8 por cento após o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC ter levado a taxa básica de juros para o menor nível histórico na semana passada.

Na quarta-feira passada, o Copom decidiu, por unanimidade, reduzir a Selic em 0,50%, para 8,50% ao ano, deixando a porta aberta para mais cortes. Até então, o menor nível alcançado pela taxa era de 8,75%.

Para2013, aexpectativa é de Selic a 9,38% de acordo com a mediana das previsões, ante 9,50% na semana anterior. Para o PIB a previsão de crescimento foi mantida em 4,50%.

A fraqueza da atividade no Brasil é uma grande preocupação do governo e dos mercados. Diante da dificuldade da economia brasileira de mostrar sinais consistentes de crescimento, o próprio ministro da Fazenda, Guido Mantega, já admitiu que a economia brasileira deve crescer entre 3 e 4% neste ano, abaixo da projeção inicial de 4,5%.

Por conta disso, o governo tem adotado medidas de estímulo fiscal e monetário e já adiantou que pode fazer uma nova rodada de redução de tributos para estimular o investimento.

 

INFLAÇÃO

No relatório Focus, as estimativas apontam que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechará este ano a 5,15%, frente aos 5,17% no relatório da semana passada. Para2013 aexpectativa ficou inalterada em 5,60%.

Na semana passada, o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) acelerou a alta em maio ao avançar 1,02%, ante variação positiva de 0,85% em abril, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

 

Entretanto, o IPCA-15 -considerado uma prévia da inflação oficial- registrou alta de 0,51 por cento em maio, abaixo do esperado pelo mercado, indicando arrefecimento na alta dos preços. .

Isso dá suporte ao discurso do governo de que caminhará para o centro da meta oficial, de 4,5 por cento pelo IPCA.

Já a taxa de câmbio prevista pelo mercado, segundo o Focus, para o fim de 2012 é de 1,90 real por dólar, sem alterações em relação à semana passada.

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x