18 de Outubro de 2021

Dólar

Euro

Esporte

Jornal Primeira Página > Notícias > Esporte > Japão é o segundo desafio do Brasil

Japão é o segundo desafio do Brasil

25/08/2011 13h28 - Atualizado há 10 anos Publicado por: Redação
Japão é o segundo desafio do Brasil

Mari uma das armas do Brasil na fase finalO dia 23 de agosto foi destinado ao estrelato para a ponteira Marianne Steinbrecher. Mais conhecida como Mari, a jogadora se sagrou campeã olímpica na data do seu aniversário, em Pequim, na China, em 2008. Três anos após a conquista, a atleta está mais uma vez na China. Desta vez, em Macau, para a disputa do Grand Prix. Coincidências a parte, Mari é uma das armas do Brasil na competição. As brasileiras terão as japonesas como o segundo desafio na fase final, às 2h30 (horário de Brasília), desta quinta-feira (25), no Macau East Asian Games Dome.

Nesta temporada, a seleção nipônica e o time verde e amarelo disputaram duas partidas. Em ambas, a vitória foi do Brasil por 3 sets a 0. A primeira, na Copa Internacional feminina de voleibol, em julho, em Brasília. O outro resultado positivo aconteceu na primeira fase do Grand Prix, em Busan, na Coreia do Sul. Ao longo da história, as duas seleções já se enfrentaram 100 vezes, com 66 vitórias das atuais campeãs olímpicas.

Para Mari a lembrança do título olímpico ainda está recente na memória. “Quando acordei a primeira coisa que veio na minha cabeça foi o título olímpico. Só depois que fui lembrar que era meu aniversário”, disse a atleta, que analisou o adversário do Brasil nesta quinta-feira.

“Acho que a melhor fase do Japão foi o ano passado. No Mundial, elas chegaram voando. As japonesas estavam fazendo jogo duro com todo mundo. Em 2011, elas não estão tão bem fisicamente como na última temporada. Porém isso não quer dizer nada. O Japão é um time que luta por todas as bolas. Não exista bola perdida para as japonesas. Elas têm uma defesa muito boa que incomoda as outras jogadoras”, explicou a campeã olímpica.

Segundo Mari, o Grand Prix é uma competição desgastante, mas o momento é de superação. “Não tem mais jogo fácil. É um adversário mais forte do que o outro. Nós pegamos uma chave difícil. É a fase que mais se exige das jogadoras tanto no físico, quanto no psicológico. Estamos preparadas. É a hora que todo mundo quer ir para cima buscando a vitória”, garantiu a ponteira.

O treinador brasileiro José Roberto Guimarães concorda com a sua comandada. “Estamos conscientes que teremos uma final por dia para chegarmos ao título. O Japão é um time que evoluiu muito no ano passado, tanto que elas foram medalha de bronze no Mundial. As japonesas vivem um bom momento e jogam com muita velocidade”, afirmou Zé Roberto, que, assim como Mari, também tem um grande carinho pelo dia 23 de agosto.

“Hoje é um dia muito feliz. Sempre comemoramos a data da nossa conquista. Além de ser o aniversário da Mari, esse dia representa um momento muito importante para o voleibol brasileiro”, finalizou o técnico.

Foto: FIVB/Divulgação {jcomments on}

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x