8 de Agosto de 2022

Dólar

Euro

Internacionais

Jornal Primeira Página > Notícias > Internacionais > Novo adiamento de julgamento de Mubarak causa irritação

Novo adiamento de julgamento de Mubarak causa irritação

08/06/2013 16h53 - Atualizado há 9 anos Publicado por: Redação
Novo adiamento de julgamento de Mubarak causa irritação

Famílias de egípcios mortos durante os protestos que depuseram Hosni Mubarak reagiram com irritação no tribunal neste sábado, 8, quando o juiz do caso contra o ex-presidente impediu que seus advogados participassem do processo.

 

Mubarak, de 85 anos, foi levado de cadeira de rodas, ao tribunal, usando uma túnica branca, um suéter e os conhecidos óculos de aviador. O ex-general da Força Aérea parecia alerta e em boa saúde, estava com o cabelo preto penteado para trás e ouviu, com a mão no queixo, os poucos minutos que durou o processo.

“Presente,” ele disse em voz baixa, quando seu nome foi chamado.

Embora muitos egípcios tenham perdido o interesse pelos processos contra o “Faraó” deposto por opressão e corrupção nos 30 anos em que ele esteve no poder, os parentes daqueles que morreram durante a revolta no início de 2011 estão impacientes com juízes, que eles consideram relíquias do antigo regime.

Mubarak, seu ex-ministro do interior e outros assessores, estão sendo processados por cumplicidade no assassinato de mais de 800 manifestantes e já foram bem sucedidos nas apelações contra condenações proferidas há um ano. Também estavam presentes no banco dos réus, enfrentando acusações de corrupção, os filhos de Mubarak, Alaa e Gamal.

Algumas das várias dezenas de pessoas presentes à segunda sessão no tribunal do Cairo para o novo julgamento insultaram os acusados antes do início da breve audiência processual.

Houve um alvoroço quando então o juiz determinou que ele não permitiria que os advogados das famílias – os requerentes civis – participassem das futuras sessões. Como é comum no Egito, eles estavam participando dos interrogatórios e examinando as provas no tribunal.

Os advogados dos parentes disseram que vão tentar questionar essa decisão. Embora o acesso público ao julgamento na Academia de Polícia, seja fortemente restrito, por motivos de segurança, alguns parentes de vítimas podiam estar presentes. O julgamento é televisionado.

Mubarak e seu ministro do interior, Habib el-Adli, foram condenados à prisão perpétua, em junho do ano passado, mas um tribunal de apelação aprovou as reclamações em relação à qualidade das provas. O novo julgamento começou há um mês. Uma terceira audiência foi marcada para segunda-feira.

 

 

 

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x