Polícia

Mulher é detida pela PM com crack e dinheiro na Vila Pureza


Uma mulher de 45 anos foi detida pela Polícia Militar no final da manhã do último sábado, 30, depois de ser surpreendida atuando na prática do tráfico de drogas, ao ser flagrada em posse de 16 pedras de crack e R$ 44,00 em dinheiro, durante uma abordagem policial, ocorrida nas dependências do bairro Vila Pureza.
Acionada via Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM), após o recebimento de uma denúncia anônima via 190, e equipe integrada pelo 2º Sargento Marcos e Cabo Jonathas, se deslocou até a Rua Conselheiro Soares Brandão, onde em certo ponto da respectiva via pública, havia uma mulher, na qual suas características foram informadas aos PMs, realizando a comercialização de drogas pelo local.
Ao tomarem destino ao endereço informado, ao ingressarem em rondas pela referida rua, os PMs imediatamente avistaram a suspeita e foram em direção da mesma, onde em ato continuo foi realizado uma abordagem, sendo necessário o apoio de uma equipe de militares na qual também era composta por uma policial militar feminina, para os devidos procedimentos de buscas pessoais junto a mulher, onde na chegada da equipe integrada pela 1º Tenente Elizabete, 3º Sargento Gomides e Cabo Sakadauskas, a averiguação foi realizada e junto da acusada localizado a quantia mencionada em dinheiro e entorpecentes.
Diante dos fatos a acusada foi detida, e junto com a mesma um indivíduo que estaria em sua companhia no decorrer da abordagem e afirmou que iria comprar drogas para o seu consumo, foram levados até o Plantão Policial da Delegacia Seccional da Polícia Civil de São Carlos, onde os fatos foram apresentados ao delegado de polícia plantonista, que diante das circunstâncias dos fatos realizou o registro de Boletim de Ocorrência de Tráfico de Drogas, com base no artigo 33 do Código Penal Brasileiro, sendo na sequência a indiciada autuada pelo ato, e recolhida para a carceragem do Centro de Triagem de São Carlos.
O suposto comprador que foi conduzido junto com a acusada até a unidade policial onde foi registrada a ocorrência, prestou suas versões junto da autoridade policial e na sequência foi possibilitado a responder pelo ato em liberdade.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *