27 de Maio de 2022

Dólar

Euro

Polícia

Jornal Primeira Página > Notícias > Polícia > Operação prende suspeito de participar de morte de PM

Operação prende suspeito de participar de morte de PM

20/09/2012 11h07 - Atualizado há 10 anos Publicado por: Redação
Operação prende suspeito de participar de morte de PM

Cerca de 50 policiais civis e militares de Araraquara desencadearam na terça-feira uma operação para prender criminosos daquela cidade. A operação foi bem sucedida, pois um homem com várias passagens pela polícia e suspeito de ter participado da morte do sargento da PM Adriano Simões da Silva, 36, no último sábado, foi preso

 

A operação conjunta contou com o apoio da PM, Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) e do Ministério Público de Araraquara. O helicóptero Águia, de Ribeirão Preto, também participou da operação durante toda à tarde.

A reportagem apurou que entre os detidos está E.L.I.E. de 25 anos, com passagens por roubo e tráfico, ele é suspeito pela morte do sargento. Também foi preso um homem e uma mulher sob a suspeita de participação em roubos e tráfico de entorpecentes.

No entanto, as investigações ainda irão apontar se o suspeito foi o responsável pelos disparos que mataram o policial. “A operação foi desencadeada com a intenção de localizar o autor do crime, mas ainda é prematuro afirmar que o suspeito seja o responsável pela execução”, declarou o Major da Polícia Militar e Coordenador Operacional do 13º Batalhão, Nilsen Derwood Mills Jr, ao portal Simnews.

Mills também negou a participação de facções criminosas no assassinato do policial. “Não é possível fazer qualquer afirmação nesse sentido”, afirmou o major. “Pedimos à população que colabore com a PM, denunciando qualquer suspeita, ainda que anonimamente, capaz de ajudar a Polícia a esclarecer esse crime”.

O suspeito teve sua prisão temporária decretada pela Justiça durante a noite.

E.L.I.E., em entrevista aos repórteres que acompanharam sua prisão, disse que era apenas um suspeito: “Eu não tenho nada a ver. Só sou suspeito. Eu não fiz nada e não atirei em ninguém”, disse. Ele foi encaminhado para a Cadeia Pública de Jaboticabal, onde ficará detido por 30 dias, prorrogáveis por mais 30.

 

SÃO CARLOS – A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de São Carlos está conduzindo o trabalho investigativo sobre a morte do soldado da PM Marcos Aurélio de Santis, ocorrido na sexta-feira passada na região da Vila Jacobucci. Um jovem que teve sua prisão temporária decretada continua a disposição da investigação, mas até o momento nenhuma novidade foi divulgada.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x