6 de Dezembro de 2021

Dólar

Euro

Política

Jornal Primeira Página > Notícias > Política > Azuaite vê ação eleitoreira em abono anunciado por Doria ao professorado

Azuaite vê ação eleitoreira em abono anunciado por Doria ao professorado

Categoria está há sete anos sem reajuste de salários

17/10/2021 06h34 - Atualizado há 2 meses Publicado por: Redação
Azuaite vê ação eleitoreira em abono anunciado por Doria ao professorado Foto: Divulgação / Câmara Municipal de São Carlos (SP)

O vereador e presidente regional do Centro do Professorado Paulista (CPP) de São Carlos, Azuaite Martins de França, expressou a indignação dos professores da rede estadual diante do anúncio feito pelo governador João Doria de que pretende destinar abono – não incorporado aos salários – à categoria que não tem reajuste de vencimentos desde 2014.

Doria fez o anúncio durante uma aglomeração promovida no Memorial da América Latina, que reuniu mais de mil educadores, num ato de caráter político no Dia do Professor. “Um presente de grego como é típico deste desgoverno paulista”, disse Azuaite.

“A medida é eleitoreira, o abono não será incorporado aos salários e não beneficiará os aposentados. A continuar dessa maneira, daremos nossa resposta nas eleições”, acrescentou.

A seu ver, o governador faz uma encenação ao dizer que destinará R$ 1,55 bilhão para o pagamento dos professores, quando na verdade ataca o funcionalismo estadual como um todo, precarizando a educação e outras áreas. Além do mais, pela proposta serão utilizadas verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento para a Educação Básica (Fundeb), que prevê a obrigatoriedade de Estados e municípios de destinar 70% dos recursos do fundo para o pagamento dos profissionais da área.  “Portanto não se trata de um ato de bondade do governador, mas de uma ação de marketing”.

Azuaite dirigiu um apelo para que a Assembleia Legislativa inclua emendas ao projeto para que todos os servidores sejam beneficiados.

“No Dia do Professor, após sete anos sem que os educadores paulistas tenham reajuste de seus salários e a inflação corrói seu poder de compra, o que o professorado esperava era um reajuste real para combater a inflação em alta. Porém, lamentavelmente, estamos diante de um político que coloca seu projeto pessoal acima do interesse do povo”, declarou Azuaite.

O parlamentar e dirigente de classe criticou o Projeto de Lei Complementar 26, que está em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado e pelo qual Dória ataca direitos do funcionalismo “e praticamente acaba com a carreira do professor”. “Os professores e o conjunto dos servidores do estado de São Paulo querem ser respeitados e reconhecidos pelo governo e repudiam esse tipo de atitude demagógica a que estamos assistindo”, concluiu.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x