27 de Novembro de 2021

Dólar

Euro

Política

Jornal Primeira Página > Notícias > Política > Cultura, moradia e meio ambiente lideram demandas em audiência pública

Cultura, moradia e meio ambiente lideram demandas em audiência pública

Parlamentares reforçaram as pautas levantadas pela população da cidade e da região central do Estado

01/10/2021 09h57 - Atualizado há 2 meses Publicado por: Redação
Cultura, moradia e meio ambiente lideram demandas em audiência pública Foto: Divulgação / Assessoria de Imprensa - Alesp

A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo realizou, nesta semana, a vigésima primeira audiência pública para ouvir as demandas da população da Região Central (Araraquara/São Carlos) para o Orçamento estadual 2022. A reunião, que aconteceu na Câmara de Vereadores da cidade e foi conduzida pela deputada Marcia Lia (PT), teve cultura, moradia e meio ambiente como as principais demandas.

O evento também contou com a presença do presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento da Alesp, deputado Gilmaci Santos (Republicanos).

Angela Cristina de Oliveira, que representa a vereadora Fabi Virgilio, pediu pelos patrimônios históricos da região. Ela enfatizou a Casa da Cultura de Araraquara, descrevendo-a como “um local de democratização da arte e da cultura” e, que segundo ela, está correndo perigo. “Por isso, o pedido de ajuda ao Estado para que consiga recurso para salvar esse patrimônio material e imaterial”, afirmou.

Para o deputado Gilmaci Santos, destinar quantias para a cultura e lazer não é um gasto, mas um investimento. “Se você traz cultura e lazer para os jovens, você não precisa trazer segurança, não precisa trazer polícia, você vai economizar. Essa é a minha visão”, falou.

Sebastião Beushiou, morador do assentamento Monte Alegre, pediu a manutenção na infraestrutura do município. “Nós estamos com uma ponte que cai ou não cai. Ontem teve 30 milímetros de chuva, a erosão acabou com a ponte e hoje não passa ninguém”, reclamou. Beushiou também pontuou a necessidade de investimento no transporte.

A deputada Marcia Lia disse ter conhecimento sobre o problema da ponte há seis anos e sabe da gravidade da situação. “Os moradores do assentamento de Bueno de Andrada e do assentamento Monte Alegre reivindicam o conserto daquela ponte, porque ela vai cair, e nela passam, diariamente, crianças. O ônibus escolar passa todo dia pela ponte e ela está em condições incrivelmente destruídas”, afirmou a deputada.

A vereadora de Araraquara Luna Meyer reforçou que todos os assentamentos da região precisam de atenção. “Todos estão desassistidos e têm questões muito gritantes acontecendo”, afirmou. Ela também pediu investimento na segurança pública. “Precisamos de mais policiais, de mais bombeiros e mais defesa civil”, disse.

Meyer ainda citou a questão das queimadas em Araraquara. Segunda a vereadora, existem ações que podem ser feitas para ajudar nessa situação. “Reflorestamento, atividade delegada, reforçando os bombeiros e criação de brigada municipal”, listou.

Representando o Sindicato de Mediadores e Conciliadores de São Paulo, Marilú Napoli demandou que a categoria seja incluída no orçamento estadual. “O nosso trabalho, embora muito importante, não é remunerado. Nós estamos precisando que todos os presentes tenham empatia por essa causa”, pediu. Ela argumentou que os mediadores e conciliadores proporcionam uma economia indireta para o Estado, quando resolvem conflitos que acabam não precisando ir a um tribunal.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x