Política

Eleições 2020 – Erick Silva pode concorrer à prefeitura pelo PT


Ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos estaria sendo muito pressionado por lideranças nacionais, estaduais e municipais do partido

Após a negativa de Newton Lima e da desistência de Silvana Donatti, ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Região, Erick Silva, poderá ser o candidato a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores. Segundo uma fonte, Erick deve ter sua pré-candidatura lançada no próximo sábado, às 15h, durante uma reunião do PT, que será realizada em sistema de videoconferência.

De acordo com as informações da fonte, Erick, que é diretor da Federação Estadual dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, da CUT (Central Única dos Trabalhadores), relutou bastante em participar das eleições municipais devido ao compromisso que tem com os trabalhadores metalúrgicos, mas teria cedido após enorme pressão de lideranças dos diretórios nacional, estadual e municipal.

Caso realmente concorra a prefeito, Erick será candidato a um cargo eletivo pela primeira vez através do sistema partidário. Atual presidente do diretório municipal do PT, ele, exatamente há dez anos, foi eleito presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos.

Em 2010 a chapa 2, de oposição, ligada à CUT, tirou do poder a Chapa 1, que estava havia cerca de 50 anos no comando da entidade sindical. Antônio Cabeça Filho, fundador do sindicato, fazia parte da chapa de situação, derrotada pela primeira vez desde 1961. Cabeça Filho morreu dois anos depois, em 2012, aos 76 anos.

No dia 21 de setembro de 2010, com 366 votos de diferença, a Chapa 2 “Transparência, Democracia e Organização”, venceu a eleição para escolha da nova diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Ibaté. Deste então, Erick Silva presidiu a entidade por dois mandatos de 2011 a 2019 e no dia 15 de dezembro do ano passou o comando para seu sucessor, o trabalhador da Tecumseh do Brasil, Vanderlei Strano.

Durante 25 anos a CUT fez oposição ao Sindicato. Nestes 59 anos de existência, a entidade teve apenas 3 chapas de oposições em suas eleições. A chapa de 1985, a de 1989 (que não chegou a concorrer ao pleito) e a de 2010, que venceu a chapa da situação.

Na eleição de 2005 os militantes da CUT fizeram uma composição com a chapa da situação. Mesmo sendo oposição dentro da diretoria, conseguiram aos poucos implementar as políticas da CUT nas negociações, campanhas salariais, assembleias e o envolvimento dos trabalhadores. Já em 2010 a CUT inscreveu sua própria chapa e venceu a eleição com mais de 70% de aprovação dos trabalhadores nas fábricas.

VOTAÇÃO – Os trabalhadores participaram do processo eleitoral por meio de 8 urnas itinerantes, que percorreram um total de 141 empresas. E também 2 urnas fixas na Tecumseh I, 4 urnas na Tecumseh II, 2 urnas na Electrolux e 1 urna na Volkswagen. Dos 4.227 trabalhadores aptos a votar, 3.602 compareceram às urnas na eleição sindical.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com