Política

Guerreiro denuncia radialista e servidor da prefeitura: “Ele está em dois lugares ao mesmo tempo”


O vereador Leandro Guerreiro (PSB) denunciou o servidor da prefeitura de São Carlos e repórter da Rádio POP FM, Luiz Francisco Francelin por crime contra o erário público e contra a população. Utilizando a tribuna da Câmara Municipal o vereador afirmou que Chico Francelin, como o repórter da POP e servidor municipal gosta de ser chamado, trabalhava na Secretaria Municipal da Pessoa com Mobilidade Reduzida, onde não cumpria o horário, porém assinada a folha ponto como se estive no local. Folhas do acionamento do alarme da secretaria mostram claramente que ele enganava a prefeitura e o povo que paga seu salário através de impostos. “É um ladrãozinho. Ele rouba os moradores de São Carlos. Prega a moralidade na rádio, mas é um ladrãozinho do dinheiro público”, disse o vereador.

No relatório da Guarda Municipal, Chico Francelin deixava o prédio por volta das 17 horas, horário que em o alarme do prédio era acionado, porém nas folhas ponto, assinava que trabalhava até às 18 horas. Assim Francelin trabalha, em média, uma hora menos na parte da tarde, porém assinada a folha cheia.

Outro ponto que o vereador Leandro Guerreira denunciou é que Francelin marcava a sua entrada na folha ponto sempre por volta das 8h50 a 9h00, mas neste horário o servidor público, que também é repórter da POP fazia participações no jornal da emissora. Ainda há o registro que durante um período, na ausência do âncora do jornal da POP, Fábio Taconelli, Chico Francelin assumiu a apresentação, porém continuava marcando a folha ponto como se estivesse na Prefeitura. “Como pode o senhor Chico Francelin estar em dois lugares ao mesmo tempo. Isso não é enganar a população? Isso não é roubar o dinheiro público. Na rádio este ladrãozinho gosta de pregar a moralidade, atacar todo mundo e agora senhor Chico Francelin? Qual sua moral?”, questiona Guerreiro.

CARLA CAMPOS – Para piorar a situação, e mesmo sabendo que Luiz Francisco Francelin poderia estar fraudando os cofres públicos ao receber proventos de horas não trabalhadas, a ex-chefe de gabinete, Carla Maria Campos, que é formalmente acusada de racismo, assinada a folha ponto de Francelin, participando da fraude. Carla Campos atestou falsamente a presença do servidor na Secretaria Municipal da Pessoa com Mobilidade Reduzida, ou quando ele estava trabalhando na POP FM, ou mesmo havia se evadido do seu local de trabalho.

DEPOIMENTO – Carla Campos de forma ilegal e que segundo as leis brasileiras corroborou com um crime, foi favorecida por Chico Francelin em depoimento na sindicância que apura crime de racismo na Prefeitura. Carla Campos, chefe de Chico na época, é acusada de crime de racismo contra duas outras servidoras da prefeitura. Carla Campos é investigada pela Delegacia de Defesa da Mulher e em sindicância na Prefeitura.

Durante depoimento em sindicância, Chico Francelin saiu em defesa de Carla Campos, sua chefe que abonava a folha ponto com as informações falsas. Apesar de outros depoimentos apontarem que Carla Campos teria cometido racismo, Chico Francelin negou o fato e disse que nunca teria visto qualquer ofensa feita pela chefe às funcionárias, que nunca presenciou fala de racismo. “Estariam eles unidos para enganar a sindicância, a Justiça e o povo de São Carlos”, questionou Leandro Guerreiro.

AFASTAMENTO – Chico Francelin mudou de secretaria. Foi trabalhar com João Mulher, na Secretaria Municipal de Habitação. Muller e Francelin foram colegas de Rádio POP FM. Muller era comentarista do mesmo programa que Chico é repórter.

Porém após as denuncias, João Muller informou que Francelin entrou em depressão. “Ele entrou em depressão e se afastou uns três dias”, afirmou o secretário Muller.

PROCURADO – Chico Francelin foi procurado pela reportagem, porém não atendeu às ligações.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *