Política

Ministro vê maioria do PMDB alinhada a relator


O ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, garantiu nesta quarta-feira, 7, que boa parte da bancada de seu partido, o PMDB, deve votar a favor do parecer do deputado Paulo Piau (MG), que pertence à legenda.

O relator ainda não apresentou seu parecer, mas já afirmou que fará algumas mudanças pontuais no texto enviado pelo Senado, considerado mais equilibrado pelo governo.

Tanto o ministro quanto o relator defendem a versão produzida pelos senadores, embora alguns integrantes da bancada do PMDB estejam se movimentando para reativar partes do texto anteriormente aprovadas pela Câmara.

“(O partido) pode não estar totalmente unido, pode não haver unanimidade, mas uma grande parcela do partido vai rumar para o encontro do texto do Paulo Piau”, disse Mendes Ribeiro a jornalistas, após reunião com a bancada peemedebista da Câmara nesta quarta-feira, 7.

Durante o encontro com os deputados, o ministro defendeu o texto produzido no Senado, lembrando ter participado ativamente das negociações na Casa, assim como a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

Parte da bancada do PMDB defende mudanças no projeto e quer o retorno da emenda 164, um adendo que foi aprovado na Câmara antes do texto ser enviado ao Senado que conferia mais poderes aos Estados para regularizar ocupações em Áreas de Preservação Permanente (APPs) e ampliava os tipos de atividades admitidas nessas regiões.

A emenda, produzida pelo PMDB e negociada pelo próprio Mendes Ribeiro, que à época era deputado e vice-líder do partido na Câmara, foi considerada uma derrota para o governo. Já os ambientalistas a encaram como uma anistia irrestrita a quem desmatou e um incentivo a novas supressões de vegetação.

Durante a reunião, deputados lembraram da atuação do ministro em favor do dispositivo. Ribeiro defendeu, no entanto, que fosse preservado o texto do Senado, por trazer mais “segurança jurídica” ao produtor.

 

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *