18 de Janeiro de 2022

Dólar

Euro

Política

Jornal Primeira Página > Notícias > Política > Newton Lima defende a indústria nacional

Newton Lima defende a indústria nacional

28/04/2012 14h41 - Atualizado há 10 anos Publicado por: Redação
Newton Lima defende a indústria nacional

O deputado Newton Lima (PT-SP) subiu à tribuna nesta sexta-feira, 27, para destacar o papel da Comissão Especial, presidida por ele, que analisa a Medida Provisória 563/12. Essa MP regulamenta a segunda etapa do Plano Brasil Maior.

 

Para Newton Lima, que também preside a Frente Parlamentar em Defesa da  Indústria Nacional, o Plano Brasil Maior traz um conjunto de propostas muito importantes, entre elas, a que altera a contribuição  previdenciária de algumas empresas e cria incentivos à inovação  tecnológica no setor automobilístico, além de instituir programas nacionais de apoio à pessoa com câncer e de apoio à saúde da pessoa com deficiência. A MP prevê, ainda, incentivos para implementação do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL).

O parlamentar anunciou que já vem trabalhando junto ao setor produtivo, aos empresários e aos trabalhadores para que esses setores contribuam com propostas no sentido de fortalecer ainda mais o mercado interno. Segundo ele, a retratação da economia tem ocorrido em decorrência de fatores que historicamente dificultaram o crescimento da indústria do País, como infraestrutura precária, alto custo da energia, elevada carga tributária, valorização do real, taxas de juros elevadas, níveis educacionais insuficientes e limitada agregação de valor tecnológico.“É preciso que ataquemos cada vez mais o ponto central da competitividade internacional industrial. Precisamos de mais inovação tecnológica, mais qualidade na produção e mais qualidade na mão de obra”, argumentou.

Ao final do pronunciamento, o deputado ressaltou que a presidenta Dilma está certa quando afirma que é inaceitável que países em desenvolvimento possam aceitar a entrada desenfreada de dólares e euros em suas economias. “Isso traz dificuldades importantes de câmbio, porque as moedas supervalorizadas, como está o Real, acabam por prejudicar as nossas exportações, sobretudo do nosso setor manufatureiro, e acabam por

facilitar a entrada de produtos importados, muitas vezes supérfluos, prejudicando o próprio crescimento, hoje bastante sustentado, das vagas no mercado do trabalho formal no País em função da retomada do aquecimento da nossa economia”, concluiu Newton Lima.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x