Política

PSDB e PSB lançam programas internos de renovação


Na esteira de grupos como o RenovaBR e a Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (Raps), o PSDB paulista lançou no último sábado, 30, um programa interno de renovação. Dez jovens e dez mulheres serão selecionados e capacitados para lançar candidaturas financiadas pela sigla nas eleições de 2020.
“Essa foi uma iniciativa do PSDB de São Paulo que agora está sendo levada ao partido nacionalmente. Só seremos representativos para a sociedade se nós formos povoados por jovens e mulheres e tivermos a capacidade de interpretar as necessidades da população”, disse o governador de São Paulo, João Doria, ao Estado. “O povo não vota no passado.”
Além disso, o diretório vai premiar os escritórios municipais que mais filiarem mulheres e jovens. “Esse programa vai selecionar, qualificar – com ajuda dos nossos quadros, como o governador Doria – e, depois, vai financiar a campanha”, afirmou o presidente do PSDB paulista, Marco Vinholi.
O lançamento da iniciativa, chamada “Portas abertas para o Futuro”, teve também a presença do presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, do presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), Cauê Macris, do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando, do presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Eduardo Tuma, e do presidente do PSDB paulistano, Fernando Alfredo.
O encontro ocorreu uma semana antes do Congresso Nacional do PSDB, em Brasília. Em uma tentativa de deixar o partido mais digital e aprimorar o diálogo com os filiados, é possível votar de antemão, pela internet, em temas como posse e porte de armas, legalização da maconha e papel do Sistema Único de Saúde (SUS).
“É uma iniciativa louvável fazer o debate usando o mundo digital para conhecer o que pensam os integrantes do PSDB nas suas diferentes faixas etárias, sexo, condição de vida”, disse o governador.
PSB – Na quinta-feira passada, 28, o PSB havia lançado, no Rio, uma “autorreforma” para se contrapor à crise de representatividade dos partidos. A iniciativa prevê uma plataforma de participação digital em que os filiados terão a oportunidade de influenciar decisões. “Terão temas em que vamos fazer consulta em caráter deliberativo. A decisão que sair da plataforma terá de ser tomada pelo partido”, afirmou o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira.
“O sistema político vem fracassando. Nas eleições de 2018, o deputado mais inexpressivo da Câmara se filiou a um partido incipiente e ganhou (à Presidência) de lideranças importantes que tinham mais tempo de TV”, afirmou.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *