8 de Maio de 2021

Dólar

Euro

Eleições 2020

Jornal Primeira Página > Notícias > Eleições 2020 > PT confirma Erick Silva neste domingo com chapa “puro sangue”

PT confirma Erick Silva neste domingo com chapa “puro sangue”

Candidata a vice-prefeito seria uma mulher; nome seria definido no final da tarde de ontem

13/09/2020 15h49 - Atualizado há 8 meses Publicado por: Redação
PT confirma Erick Silva neste domingo com chapa “puro sangue” Foto: Divulgação

O Partido dos Trabalhadores (PT), que governou São Carlos entre 2001 e 2012, confirmará, na convenção municipal hoje , 13 de setembro, através do Google Meet, a partir das 15h,  como candidato a prefeito o metalúrgico e sindicalista Erick Silva.  A convenção do partido também confirmará o nome da candidata a vice-prefeita e também a chapa de candidatos a vereadores, com 20 componentes. O “vice” será uma mulher. O nome seria definido em reunião na tarde de ontem.

Apesar da boa relação com outros partidos de esquerda e até do centro, as articulações não obtiveram sucesso e o partido acabou sozinho na disputa eleitoral deste ano. Bem diferente das grandes coligações que o partido conseguiu comandar, principalmente em 2004, 2008 e 2012, quando teve apoio de partidos como Republicanos, PSD, PTB, PMDB, PC DO B e tantos outros.

Durante os 12 anos em que o Partido dos Trabalhadores governou São Carlos (2001-2012), muito se falou sobre as características das lideranças da sigla no município que contrastavam, de certa forma, com a história das lideranças nacionais da sigal. Os analistas  destacavam o caráter “universitário” dos mandatos, já que tanto o ex-prefeito  e ex-deputado federal Newton Lima, quanto seu sucessor , Oswaldo Barba, foram reitores da UFSCar.

Exatamente dez anos depois de chegar ao poder no Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos, membros do chamado “PT Metalúrgico” ou “PT chão de fábrica”, ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT)  vai participar pela primeira vez de uma eleição de prefeito, apontando o candidato ao cargo principal.

O pré-candidato do partido nas eleições deste ano é Erick Silva. Em São Carlos ele é o primeiro metalúrgico a concorrer à sucessão municipal. Desde a fundação do PT, nos anos 1980, todos os candidatos a prefeito tiveram alguma ligação direta com as universidades do município – a USP e a UFSCar, principalmente a última. Embora seja formado em Ciências Sociais pela UFSCar, é na área metalúrgica que Erick se destaca. Tanto que é diretor estadual da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo (FEM-CUT).

HISTÓRIA – A história de Erick no PT e como político começa no  dia 12 de outubro 1996, o então prefeito Rubens Massucío Rubinho inaugurou a fábrica de motores da Volkswagen em São Carlos com apoio dos tucanos. Mal sabiam as forças de direita e de centro são-carlenses que eles estavam, naquele preciso momentos, plantando as sementes de uma vanguarda sindical e de uma nova tendência dentro do PT municipal.

A partir daí, o sindicalismo e a política de São Carlos iriam mudar, assim como também a luta dos trabalhadores. A VW marcou a cidade inflacionando os salários, para desgosto dos então dirigentes de outras empresas metalúrgicas da cidade, como Electrolux, Tecumseh, Engemasa, Latina e tantas outras.  Nasceu, então, uma classe média operária e crítica.

No início dos anos 2000, numa articulação política bem feita, as maiores lideranças da CUT em São Carlos – Erick Silva, Ronaldo Lopes, Cidão Evangelista, Vanderlei Strano e outros fizeram uma composição com Antonio Cabeça Filho, Rosalino de Barros e a “velha guarda” do Sindicato dos Metalúrgicos. O grupo cutista foi fundamental para a histórica greve da Tecumseh realizada em julho de 2006, que fez a fabricante de compressores sofrer derrotas acachapantes na Justiça do Trabalho após demitir em massa em retaliação à paralisação.  Dentro do sistema, eles aprenderam, cresceram e derrotaram o “velho sindicalismo” nas eleições de 2010.

UMA TRAJETÓRIA DE ASCENÇÃO E QUEDA – Nas eleições municipais de 1996, a candidata do PT foi Silvana Donatti. Ela obteve 12.494 votos ou 13,93% do total. Quatro anos mais tarde os petistas venceriam a disputa municipal pela primeira vez em São Carlos. Numa disputa eletrizante, Newton derrotou Dagnone de Melo, que concorria as eleições por apenas 128 votos de diferença. O ex-reitor da UFSCar ganhou com 40.342 votos ou 40,34% dos votos. Em 2004 elege se reelegeu com 48.876 votos ou 42,94% dos total de votos válidos.

O sucesso do PT rendeu mais 4 anos governo. Newton, em 2008, emplacou o nome do até então desconhecido Oswaldo Barba, que era o reitor da UFSCar. Ele venceu a disputa com 43.888 votos, com 35,41% da votação total. Quatro anos mais tarde, em 2012, Barba não conseguiu se reeleger. Mesmo assim ele obteve a maior votação em número de eleitores da história do partido em São Carlos. Foram 53.776 votos ou 42,55% do total, mas não suficientes para vencer o pleito, já que Paulo Altomani  conseguiu mais de 60 mil votos.

Em 2016 o PT fez água em São Carlos. O ex-vereador Lineu Navarro teve uma votação ridícula, com apenas 7.309 votos ou 5,92% dos total, ficando em quinto lugar no geral.  Para piorar a situação, o PT não elegeu nenhum vereador, o que não acontecia desde a Década de 1980.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x