20 de Outubro de 2020

Dólar

Euro

Eleições 2020

Jornal Primeira Página > Notícias > Eleições 2020 > “São Carlos foi entregue à corrupção”, afirma Melo

“São Carlos foi entregue à corrupção”, afirma Melo

Para ex-prefeito, atual gestão se perdeu nas negociatas e no toma-lá-dá-cá, promovendo o maior processo de corrução da história do município

17 de Setembro de 2020 às 13:14 Publicado por: Redação
“São Carlos foi entregue à corrupção”, afirma Melo Foto: Marco Rogério

João Otávio Dagnone de Melo governou São Carlos durante dez anos – de 1983 a 1988 e de 1997 a 2000. Nesta entrevista ele destaca suas principais obras, fala do momento atual e não poupa críticas ao governo do prefeito Airton Garcia (PSL). Segundo Melo, a atual gestão, juntamente com membros do Legislativo, foi entregue à corrupção desbragada.

Sobre o momento atual, o ex-prefeito está decepcionado. “ O momento eleitoral é o momento de um debate amplo, total e irrestrito. Lembro-me de que no passado o período pré-eleitoral era sinônimo de um debate sério e profundo sobre os problemas da cidade. Havia uma participação efetiva dos movimentos sociais, uma presença e uma participação marcante das universidades e das pessoas envolvidas com a cultura, a ciência e a tecnologia. Hoje, o debate sobre o futuro da cidade está substituído por um debate sujo, rasteiro, impregnado pela criminalidade e pela falta de educação, pela falta de civilidade, enfim, pela falta de um mínimo de respeito ao cidadão. Porque num momento em que alguém decide agredir, difamar e caluniar uma liderança, ele não está ofendendo apenas aquele cidadão, mas também ofende todos aqueles que são simpáticos às ideias daquela pessoa”, ressalta ele.

Segundo o ex-prefeito, o debate foi relegado à lama. “Portanto, o debate de alto nível que se esperava que fosse presente na capital da alta tecnologia, foi substituído por um debate inócuo, chulo, rasteiro. Coisa própria deste momento em que a cidade, através da Câmara, por alguns de meus membros e pela Prefeitura, por alguns de seus secretários, a cidade foi entregue à corrupção desbragada, a cidade foi entregue à negociação, ao toma-lá-dá-cá, a um processo de corrupção, de malversação dos recursos públicos como nunca se viu na história de São Carlos. São Carlos já teve prefeito que já foi preso, São Carlos já teve prefeito que foi condenado, teve uma série de coisas que aconteceram na nossa cidade, mas nunca, nunca, se viu um governo tomado pela corrupção e pela marginalidade. Alguns que lutam e acusavam freneticamente a administração municipal de corrupção, de roubalheira, de todo o tipo de desvio, hoje se apresentam à opinião pública como se fossem os guardiões da atual administração. Será que esta gente não vê que o povo não é bobo. O povo sabe que estas mudanças radicais de postura e  de posicionamento político se deram às custas da compra de ideologias, da compra de consciência política, seja no Legislativo, seja no Executivo. Diante disso estamos diante de um quadro negativo, de um quadro negro e, repito, impregnado pela corrupção. Por isso que eu perfilo entre aqueles que defendo com veemência a mudança. E que esta mudança ocorra no dia 15 de novembro”.

Com relação ao atual governo municipal, Melo vê seus membros como “totalmente despreparados”. “Olha, esta gente que está aí já provou por A mais B que não tem capacidade para nada, muito menos para administrar uma cidade com a complexidade e o tamanho de São Carlos. A palavra chave par ao futuro é planejamento. Qualquer gestor que chegue à Prefeitura, diferentemente do que ocorreu no passado precisa ser envolvido pro gestores. A administração tem que ser profissionalizada. É lógico que existe a política e que existem funções inferentes à política, mas também existem cargos que têm que ser ocupados por quadros técnicos.  Portanto, eu entendo que só um planejamento integrado de curtíssimo, médio e longo prazo, pode indicar futuro da cidade. Eu poderia citar alguns exemplos que estão aí aos olhos da população. Vivemos uma saúde caótica. Alguns dirão que este é um problema difícil para o município solucionar. Mas o município pode fazer muito. Quando assumi a Prefeitura pela primeira vez o que havia na Saúde do Município eram duas ambulâncias velhas com os motores fundidos. Planejamos e criamos uam rede de saúde básica. Foi no meu primeiro governo que construímos o Pronto Socorro na Avenida São Carlos. Hoje, de forma inacreditável, aquele prédio está sendo usado como sede da Secretaria de Saúde. Ao invés de estar a serviço da população, está servindo de luxo para o secretário, o que é um total absurdo.  A cidade precisa urgentemente de uma  Unidade de Saúde Materno Infantil. Em São Carlos temos a unidade prontinha, mas que está sendo usada de forma totalmente equivocada”.

Com relação ao recape, programa ressaltado pelo prefeito Airton, Melo não poupa críticas. “No meu primeiro governo comprei uma usina a frio de asfalto. Com esta usina nós fazíamos o reparo de toda a pavimentação da cidade. De forma totalmente diferente o que está sendo feito agora, com empréstimos de R$ 75 milhões. O prefeito fica por aí posando de herói, fazendo recape com dinheiro emprestado. Estão enganando o povo, vendendo gato pro lebre e não vejo nenhum destes agentes políticos discutindo estes problemas neste momento eleitoral.  São Carlos arrecada anualmente cerca de R$ 1 bilhão e, devido à corrupção, à malversação de recursos, não existem  recursos para recapeamento. E para fazer recapeamento sequer é necessário um prefeito”.

Ele também desafia o atual prefeito a mostrar quais investimentos a cidade recebeu nos últimos 4 anos. “ Cadê os investimentos que a cidade recebeu neste governo. Nos meus governos tivemos a implantação da TAM, do Shopping Iguatemi e outros empreendimentos. A verdade é que atualmente não recebemos mais novos investimentos.  Se nos últimos anos estivemos sempre à frente de Araraquara, mas a tendência é de um futuro muito se esta gente continuar no poder, pois tal situação vai gerar descrença, desânimo  e decepção para a cidade e descrédito perante a região e a investidores”.

Melo destaca suas três principais realizações. “ O Ginásio de Esportes Milton Olaio Filho, foi importante e fiz 95% das obras em meus governos. Se falarmos do anel viário da cidade, 80% dele foi feito nas minhas duas gestões, como a Avenida Tancredo Neves, com novas ligações da Vila Prado com outras regiões da cidade. Outra ligação fundamental foi a Bruno Ruggiero, com novas interligações para o Grande Santa Felícia e a Miguel Petroni, ligando a USP até a UNICEP, além da Avenida Morumbi à Estrada do Broa O sistema viário é imprescindível  para melhorar o escoamento de tráfego  e não apenas semáforos e sinalização, como fez o atual governo. Além disso poderia citar o programa de saúde, com a implantação da rede básica no meu primeiro governo, além de um excelente programa de geração de empregos”, destaca ele.

O ex-prefeito deixa um recado para o eleitor são carlense. “ Este é um momento de, ou concordar, se você está satisfeito, que se permaneça com esta atual situação. Mas se você acha, como eu, que a cidade precisa muar, encontrar um novo rumo e se reencontrar com práticas sadias e voltadas ao interesse público, chegou a oportunidade da mudança. São Carlos, além de tudo isso, foi transformada em uma cidade efetivamente os mesquinhos interesses pessoais, a ganância por riqueza fácil e a fraqueza da atual administração, submissa criminosamente a interesses empresariais, precisa passar por um processo de revisão. Esta é a minha ideia, este é meu ponto de vista e esta é minha visão. Está nas mãos do povo a possibilidade de mudança”.

Recomendamos para você

Comentários

Assinar
Notificar de
guest
0 Comentários
Comentários em linha
Exibir todos os comentários
0
Queremos sua opinião! Deixe um comentário.x
()
x