Política

Vereadores aprovam o PDV para os servidores da Câmara


Na sessão da Câmara de ontem, 10, foi votado o projeto de lei (PL Nº 599) que institui o Plano de Demissão Voluntária (PDV) aos funcionários do legislativo de São Carlos.
Em entrevista ao Jornal Primeira Página, o presidente da Câmara, Lucão Fernandes (MDB), explicou que o PDV é para os funcionários ativos ou aposentados continuam trabalhando, em  que ingressaram antes de 1988. “Na minha gestão anterior (2015 a 2016) solicitei a inclusão do PDV, mas não obtive êxito. Nesta gestão consegui colocar o projeto de lei para ser votado na sessão de ontem. A solicitação deste PDV é do Sindicado dos Servidores Públicos e Autárquicos de São Carlos e Dourado (SINDSPAM)”, explicou.
Ele disse ainda que o PDV irá trazer economia ao legislativo, porque esses funcionários que aderirem ao plano de demissão não serão substituídos, os cargos serão extintos. São quatro no total.
O projeto de lei foi aprovado por 16 votos favoráveis e nenhum contrário.
Saúde – O vereador Malabim (PTB) disse que a falta de médicos nas unidades de pronto atendimento (UPAs) está prejudicando em muito o atendimento dos usuários do sistema único de saúde (SUS). Ele chegou a criticar a construção de um novo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) no município já que a Prefeitura não pode contratar novos funcionários.
“a saúde da cidade de São Carlos está com falta de médicos nas unidades da saúde e de pronto atendimento, o que foi confirmado pelo secretário de saúde”, ressaltou.
O parlamentar Marquinho Amaral (MDB) falou sobre o relatório final da Comissão que averiguou irregularidades no contrato entre Prefeitura e a São Carlos Ambiental, que administra o aterro sanitário do município. Segundo ele foram encontradas 15 irregularidades. (Veja na página A5).
O vereador Roselei Françoso (Rede) que falou da possível ilegalidade do concurso público para diversos empregos na prefeitura municipal que foi publicado no diário oficial do município na edição do dia 19 de novembro e as provas serão aplicadas no próximo domingo, dia 15 de dezembro. Segundo ele, é necessário no mínimo 60 dias para divulgação e inscrições de qualquer concurso público.
“A prefeitura pode cometer uma ilegalidade na sua gestão, por causa de um concurso público para vários cargos, se quer cumpriu doze dias de inscrição. Então, o inscrito não terá tempo suficiente para se preparar para o concurso”, alerta o vereador.

comments icon0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *