21/04/2019

21 de abril de 2019


Judas
A tradição de malhar o Judas é mantida em algumas regiões de São Carlos. Alguns políticos, inclusive, ficaram com medo de sair às ruas. Fizeram isso depois do meio-dia de ontem.
Desdobros
O promotor Sérgio Domingos de Oliveira, do Ministério Público, instaurou inquérito civil sobre a questão dos desdobros. No despacho, a autoridade do judiciário deixa claro que a Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano adotou a atitude correta ao abortar a aprovação de desmembramentos de áreas.
Um bilhão, mas…
O vereador João Muller (MDB) escreveu, em sua rede social, um artigo interessante sobre Orçamento. Em suma, diz que muitas exploram que o Orçamento de São Carlos beira R$ 1 bilhão, contudo a capacidade de investimento é muito baixa – de R$ 7 milhões a R$ 8 milhões.
Sequência
O vereador prossegue: “Para quem está distante da vida pública e seus acontecimentos pode e deve perguntar: Mas para onde vão os milhões de reais arrecadados e transferidos a esta cidade? 50,4% comprometido com a folha de pagamento. Quase 80% vinculados aos serviços de saúde e educação, bom contingente na Segurança pública e assistência Social, áreas essenciais no sistema capitalista”.
Diferença
E a diferença, os outros 49,6% da receita. Estamos a falar de um município com necessidade de amortizar dívidas com Tesouro Nacional (83 milhões de reais), com INSS próximo de (50 milhões de reais), Precatórios (na casa de 68 milhões de reais).
Custeio
E tem o custeio da máquina pública, despesa fixa. Com o quê? Energia, aluguéis, telefonia, coleta de lixo, limpeza pública, subsídio transporte, cesta básica e vale refeição servidores, transporte alunos, aprendizes, sucumbência, combustível, terceiro setor, contratos saúde, repasse Câmara, entre outros.
Ajuste
O vereador conclui: “Uma coisa é certa e tenho coragem de afirmar. O próximo prefeito de São Carlos terá, será obrigado a concluir o ajuste fiscal na receita e despesa deste município. O ajuste pela receita será maior ou menor de acordo com o tamanho, com a obrigação da prestação de serviços públicos”.
Prazos
Os eleitores brasileiros que não votaram por três eleições consecutivas e tampouco justificaram sua ausência devem regularizar a situação com a Justiça Eleitoral para não ter o título cancelado. É importante lembrar que cada turno representa uma eleição.
Prazos II
O prazo final para evitar o cancelamento é o próximo dia 6 de maio. Quem estiver em dúvida sobre sua situação pode consultar com facilidade no Portal do TSE. É só digitar nome completo e data de nascimento.

comments icon 0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *