Torpedos 07/08/2019

7 de agosto de 2019


Release?

Vereador Roselei Françoso pede R$ 300 mil para recape das ruas de São Carlos a Luiz Flávio Gomes, do PSB. Ué? Essa coluna deu pra publicar release de vereador? Não! É que o deputado federal escancarou as portas para o vereador da Rede ingressar no PSB. E Roselei vai.

Mãos

Segunda-feira tem convenção municipal do MDB. Marquinho Amaral não quer mais a presidência. Disse que precisa cuidar do seu mandato e não terá tempo para se dedicar às questões partidárias (tá bom…)

Mãos II

Pois é. Como antecipamos na coluna de domingo, um dos nomes cotados para assumir a presidência da sigla é Rafinha Almeida, funcionário da Suzantur. Ele é ligado a Eduardo Antônio Teixeira Cotrim, militante secular do partido.

Mãos III

Outro nome que surge para comandar o PMDB. O vereador licenciado e secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano, João Muller. Independente do presidente, uma coisa é certa: o partido pode cair no colo do prefeito Airton Garcia depois de segunda-feira à noite.

Desconversar

Quando questionado sobre candidatura à reeleição, Airton Garcia desconversa: “se a eleição fosse hoje, não seria candidato”. Mas o primeiro escalão do governo trabalha com entusiasmo para a reeleição.

Descamisados

O vereador Malabim (PTB) está bravo com o secretário de Educação, Nino Mengatti, pré-candidato a prefeito de Araraquara. Disse que as crianças, até hoje, não receberam uniformes escolares.

Descamisados II

Interessante é que o secretário prometeu a entrega dos uniformes em março. Talvez em março de 2020. O mesmo parlamentar reclamou da falta de materiais escolares na rede.

Saúde

O vereador Sérgio Rocha (PTB) reclamou da superlotação nas UPAs e falta de medicamentos de alto custo. Tudo isso aconteceu na volta do recesso parlamentar. Ou seja: as férias acabaram, mas as reclamações seguem na mesma toada.

Contrato

Enquanto isso, no Diário Oficial, houve a publicação do contrato com a Organização Social Omesc. Por um ano, ela fornecerá serviços médicos às UPAs e Samu. O valor do contrato: R$ 1,860 milhão.

Faz ‘arminha’

O Ministério Público de São Paulo investiga um suposto esquema de desvio e lavagem de dinheiro envolvendo o deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL). Parlamentar de primeiro mandato, ele é suspeito de arrecadar parte do salário de assessores do seu gabinete na Assembleia Legislativa paulista (Alesp), prática conhecida como “pedágio” ou “rachadinha”.

Faz ‘arminha’ II

O inquérito, que também investiga dois assessores de Nishikawa, foi aberto no dia 11 de julho pelo desembargador Augusto Francisco Mota Ferraz de Arruda, do Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a pedido do procurador Cícero José de Morais, coordenador do núcleo que investiga deputados na segunda instância por causa do foro privilegiado. A decisão foi revelada ontem pelo jornal Diário do Grande ABC. O inquérito está sob sigilo.

comments icon 0 comentários
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *