Quinta-feira, 19 Abril 2018  14:10:29

Contas da intervenção estavam em ‘papel de pão’, reclama vereador

  • Escrito por  Fábio Taconelli

Os vereadores Gustavo Pozzi (PR), Cidinha do Oncológico (SD), Roselei Françoso (Rede), Sérgio Rocha e Malabim (PTB) e Edson Ferreira (PRB) assinaram e indicaram o quinto componente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga o período de intervenção no transporte público. Alguns fatores motivaram a adesão do grupo. Um deles foi o registro de um Boletim de Ocorrência em que o secretário de Fazenda, Mário Antunes, denúncia um desequilíbrio contábil da ordem de R$ 56,6 mil.

Os vereadores também se justificaram sobre a não assinatura e indicação de membro à CPI na última terça-feira, 10, durante a sessão da Câmara. Eles disseram que a Prefeitura protocolou o documento na segunda-feira, 9, mas as informações foram distribuídas apenas na quarta-feira, 11, pela manhã. “Neste resumo existe um Boletim de Ocorrência do secretário Mário Antunes [Fazenda] denunciando a falta de R$ 56,6 mil no balanço contábil. Em princípio, analisamos a questão como um movimento político. Agora, há indícios de irregularidades”, afirmou o vereador Gustavo Pozzi (PR).

Pão

O vereador Roselei Françoso (Rede) foi o indicado do grupo político a integrar a CPI. “Os documentos entregues pela Prefeitura nos obrigam a fazer uma investigação. Na Câmara, sempre apoiei CPIs, assim como os vereadores Cidinha e Sérgio Rocha. E as informações transmitidas pela Prefeitura somos obrigados a assinar. Existem registros contábeis colocados de forma desrespeitosa com o dinheiro. Colocaram informações importantes em ‘papel de pão’. Alguns remanejamentos financeiros foram tratados com brincadeira”, comentou Roselei.

“Analisaremos os documentos, ouviremos testemunhas e garantiremos o direito ao contraditório e à ampla defesa dos envolvidos”, complementou o parlamentar.

Edson Ferreira (PRB) salientou que não participa de grupos políticos na Câmara e que dará apoio à CPI. Ele reforçou que esperava o balanço contábil da Prefeitura para analisar e assinar a Comissão, proposta pelo vereador Dimitri Sean (PDT). Ele também reclamou que o documento, apesar de ter sido protocolado na segunda-feira, chegou às mãos apenas na quarta. “Se tivesse o conhecimento da situação relatada pelo secretário Mário Antunes antes da sessão, não pensaria duas vezes na assinatura da CPI. Infelizmente, falharam na distribuição dos documentos aos vereadores”, comentou.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.