Segunda-feira, 20 Agosto 2018  02:04:48

TRANSPORTE PÚBLICO: Airton foi induzido a erro, diz secretário sobre intervenção

  • Escrito por  FÁBIO TACONELLI

O secretário de Transporte e Trânsito, Coca Ferraz, prestou depoimento na tarde de sexta-feira, 11, à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga o período de intervenção da Prefeitura na empresa Suzantur.

Na opinião de Coca Ferraz, o prefeito de São Carlos foi induzido “a cometer um equívoco, que trouxe sofrimento à população, prejudicou o transporte e diminuiu consideravelmente o número de ônibus disponíveis à população”.

Ao final do depoimento, o presidente da CPI, vereador Dimitri Sean, disse que a Comissão busca o depoimento do ex-chefe de Gabinete da Procuradoria Jurídica, Ademir Souza e Silva. “Conversei com o doutor Ademir por telefone. Ele disse que está disposto a vir prestar os esclarecimentos. Até agora, todos os depoimentos o responsabilizam no processo de intervenção”, destacou.

O transporte público de São Carlos viveu sob intervenção da Prefeitura durante 43 dias. Esse período foi protagonizado por quebras de veículos, falta de combustível, atraso nas linhas, falta de ônibus em circulação e greve de funcionários.

Imprensa

Na oitiva, Coca Ferraz reafirmou que não ficou sabendo da formatação do processo de intervenção. “Fiquei sabendo pela imprensa”, disse em depoimento.

Como a Justiça determinou o afastamento de Ademir Souza e Silva da chefia de Gabinete da Procuradoria Jurídica, ele foi deslocado à secretaria de Transporte e Trânsito para conduzir a licitação e o processo de intervenção, segundo Coca Ferraz.

Ele diz que aceitou o convite para permanecer na administração, deslocado à Fundação Pró-Memória, pois reputava como importante a sequência dos projetos de revitalização de trânsito, que estão sob sua responsabilidade.

O secretário de Transporte e Trânsito confidenciou que, diante das dificuldades no transporte, procurou a direção da empresa Suzantur, junto do secretário de Esportes Edson Ferraz, sugerindo a retomada do serviço pela iniciativa privada, algo que foi aceito. Houve, também, algumas mudanças estruturais.

Coca Ferraz destacou que a lacração das catracas é importante para o controle financeiro e de uso de passageiros, mas que ‘ouviu falar’ que algumas delas estavam sem os dispositivos.

No depoimento de quinta-feira, o secretário de Fazenda, Mário Antunes, disse que Ademir Souza e Silva sugeriu uma ‘vaquinha’ para cobrir o rombo de R$ 56 mil no processo de intervenção. Coca Ferraz desconhece essa proposta. “O transporte coletivo precisa ser tratado com seriedade e o caminho correto era uma negociação séria, com dados reais, planilhas e não no ‘chute’. A intenção da secretaria é fazer uma licitação definitiva”, pontuou Coca Ferraz.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.