Segunda-feira, 15 Outubro 2018  12:29:10

Políticos usam Câmara para lamentar falta de deputados em 2019

  • Escrito por  DA REDAÇÃO

A falta de representantes são-carlenses na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados foi o tema dos discursos dos vereadores na sessão da Câmara de ontem, 9. São Carlos apresentou 15 candidatos a deputado estadual e oito a federal.

Azuaite Martins de França (PPS) começou o seu discurso cumprimentando aqueles que colocaram o nome na disputa. “Todos tinham um sonho, uma proposta e deram a cara para bater numa eleição, diferente das demais, com o resultado longe daquilo que podia se esperar, o que a lógica apontava”, comentou.

Azuaite Martins de França pediu à classe política que se faça uma inflexão da situação política de São Carlos. “Precisamos pacificar a política de São Carlos. Muitos criticam o fato de virem candidatos de fora buscarem votos aqui. Isso sempre acontecerá. Existem vínculos partidários que conduzem a este comportamento”, observou.

Azuaite continuou: “as forças políticas que se antagonizam em São Carlos deveriam buscar um entendimento, abrir espaços para que outros possam ocupá-los. Do jeito que vejo, algumas forças políticas querem tudo para si e não abrem mão de nada”, provocou Azuaite.

Geladeira

Chico Loco (PSB) resumiu a situação política de São Carlos. “Colocaram todos os políticos na geladeira”, disse. E fez uma crítica ao próprio partido. “Nesta eleição, as pessoas correram de política. Fiz uma campanha de R$ 3 mil e conquistei 4.700 votos. Essa é a minha inexpressividade política. Reconheço a minha impotência política e torço para que as novas forças tragam novas aspirações. Reconheço que sou um fiasco e devo tirar o time de campo”, lamentou.

O presidente da Câmara, Julio Cesar (PR), diz que as escolhas do eleitor devem ser respeitadas. “Tivemos vários furacões nesta eleição que vieram das mídias sociais e atingiram seus objetivos. O triste é que os furacões devastaram o interior de São Paulo, que ficou prejudicado em representatividade. Muitos dos que tiveram voto não têm vínculo com o interior”, destacou.

Julio Cesar afirmou que 75 mil eleitores não votaram. “Daria para eleger um deputado federal ou deputado estadual”, comparou. A cidade apresentou 110 mil votos válidos e 65 mil deles foram para candidatos de fora”.

Leandro Guerreiro (PSB) também falou das eleições e lançou um plano ousado. A candidatura à Prefeitura. “Vou ser, sim, candidato a prefeito de São Carlos. Os que estão no poder vão usar a máquina; os que não estão, vão tentar se articular para me derrubar”.

Lucão Fernandes (MDB) diz que a eleição desse ano serve de alerta para o pleito municipal de 2020, pois o cidadão está cada vez mais criterioso. Ele falou que, dentro do processo democrático, é normal que os candidatos daqui busquem votos fora e vice-versa. “Não há porteira fechada. Os candidatos daqui não foram proibidos de buscarem seus votos fora”.

Paraná Filho (PSB) disse que encarou a campanha na raça e na coragem, pois não recebeu um centavo do partido para fazer campanha.

Roselei Françoso (Rede) acrescentou que nas eleições de domingo, 7, quem imperou foram as redes sociais. “Também não tive recursos, exceto o material de campanha enviado pelo candidato a deputado federal, Zé Gustavo. O que imperou nesta eleição foram os três ésses – saliva, sapato e suor”.

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.