Quarta-feira, 17 Outubro 2018  13:44:41

Torpedos 11/05

  • Escrito por  DA REDAÇÃO

Mau exemplo

Este é o Ecoponto do Jardim Paulistano, segundo Nelsinho Pereira. Mais uma bomba relógio prestes a explodir. Primeiro, por mau exemplo dos cidadãos; segundo, por mau exemplo da Prefeitura.

 

Comovente

Até as pessoas com sentimentos inflexíveis, certamente, ficaram sensibilizadas com a audiência pública que debateu a situação da hemodiálise da Santa Casa de São Carlos. De um lado, os médicos responsáveis tentavam pintar um ‘mundo cor de rosa’ à prestação dos serviços; de outro, pacientes e familiares mostraram uma situação bem diferente.

 

Atenção

Alguns depoimentos chamaram bastante a atenção. Um deles foi de Alessandra Asenha, filha do Toninho Asenha da Farmácia (já falecido). Segundo ela, o pai saía e voltava deprimido da diálise, pois sabia que as condições do serviço não eram as melhores possíveis.

 

Atenção II

Outro depoimento  comovente foi o prestado por Gigli Enéas. Ele perdeu a filha aos 32 anos. Na opinião dele, Ariane Enéas pegou uma infecção que a levou à morte após passar por sessões de diálise. Em suma, ele considerou o setor de hemodiálise como um dos responsáveis pelo óbito da jovem.

 

Maus tratos

Um aposentado, senhor Avelino Lóca, também estava contrariado com o serviço de hemodiálise. Ele retratou situações precárias de higiene. E que “Deus o acompanha nos procedimentos, caso contrário já estaria morto faz tempo”. Forte, não acham?

 

Passos

Marquinho Amaral revelou a necessidade de se visitar outros departamentos de hemodiálise e passar esse serviço, literalmente, a limpo. Pelos relatos passados aos pacientes, a verdade é uma só: não dá para deixar esse assunto morrer.

 

Beicinho

Nas reuniões do primeiro andar, secretários do governo Airton Garcia reclamam sem dó do responsável pelo setor de licitações, Roberto Rossato. Dizem que a lentidão do servidor é a responsável pelo atraso de muitas licitações. Será?

 

Bomba

Caiu como uma bomba o depoimento do secretário de Fazenda, Mário Antunes. Segundo ele, numa reunião, o ex-chefe de Gabinete da Procuradoria Jurídica, Ademir Souza e Silva, sugeriu a cotização do prejuízo de R$ 56 mil aos cofres municipais, durante o período de intervenção na Suzantur.

 

Pegou mal

O depoimento pegou mal pra caramba entre o estafe do governo Airton Garcia, pois a declaração de Mário Antunes foi (desculpe o termo) ‘batom na cueca’. Como será que a Justiça vai encarar esse depoimento bombástico? Certamente essa história reservará capítulos emocionantes.

 

Crise

A primeira crise universitária pegou a reitora da UFSCar, Wanda Hoffmann. Depois de Sorocaba, os universitários ocuparam a reitoria de São Carlos. EleS reclamam que o valor das refeições subiu de R$ 1,80 para R$ 4. No Bom Prato, a refeição custa R$ 1. #ficaadica!

Avalie este item
(0 votos)

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.