Quinta-feira, 13 Dezembro 2018  11:33:06

Torpedos 19/07

  • Escrito por  DA REDAÇÃO

Criatividade

Este Nelsinho Pereira é ‘fogo no boné do guarda’. Para denunciar um grande vazamento de água na rua Abraão Simão, em Vila Brasília, em frente ao cemitério, ele sugere um vídeo com esqueletos dançando.

É fogo!

Marquinho Amaral (MDB) segue polêmico e disposto a prosseguir o embate contra o secretário de Educação, Nino Mengatti. Ontem à tarde, no Programa Acontece São Carlos, da Rádio São Carlos AM, afirmou que o titular da pasta fica a semanas sem comparecer ao serviço. Será? Disse também que os extintores das escolas estão vencidos.

Debate

Segundo Marquinho Amaral, Mengatti é um ‘cagão’, pois foge do debate. Comentou também que faltam insumos básicos nas escolas, como papel higiênico e material de limpeza.

Não terminou

Ainda de acordo com o vereador do MDB, o secretário está a usar a secretaria para fazer conchavos. São denúncias sérias e, infelizmente, o secretário não atende às ligações para rebater as denúncias. A prova cabal é que o próprio programa tentou um contato com Mengatti, que desligou o telefone.

Fila

Outra informação do vereador: a fila de espera nas escolas é de 2.500 crianças. São informações sérias, que o vereador insiste nas mídias, e que ninguém da administração – muito menos o secretário – vem a público para esclarecer.

Boa notícia

Noves fora, a boa notícia é que a Prefeitura trabalha com vigor para recuperar o dinheiro para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Varjão. Na administração passada, o gestor do SAAE à época perdeu R$ 19 milhões.

Imbróglio

Há uma disputa judicial séria entre empresas. Elas questionam o edital da limpeza pública. Ao que tudo indica, essa novela ainda reserva muitos capítulos.

#prontofalei!

Depois de anunciar o rateio de R$ 600 mil entre os professores da Rede Municipal – cada uma vai receber R$ 2,6 mil aproximadamente – o prefeito Zé Parrella (PSDB) fará outro importante anúncio. A primeira parcela do décimo terceiro salário será depositada na sexta-feira.

Indignação

Moradores da rua Eleutério Malerba, no Prolongamento do Medeiros, reclamam da Prefeitura, que retirou o que sobrava do asfalto e jogou entulho para servir como base. A revolta deles é que a administração desapareceu. A Prefeitura rebate. Disse que amanhã estará no bairro.

Avalie este item
(0 votos)

Adicionar comentário

Atenção

• Os comentários devem ser respeitosos e relacionados estritamente ao assunto do post e são de inteira responsabilidade de seus autores.

• Não representam necessariamente a opinião deste jornal.

Código de segurança
Atualizar

PUBLICIDADE

Atlântica

PUBLICIDADE

Jornal 1ª Primeira Página. Todos os direitos reservados.